A indústria automóvel está a evoluir a um ritmo tão acelerado que, para não ficarem para trás, os tradicionais construtores procuram “sangue novo”, pois tem sido sobretudo de pequenas empresas que têm saído as ideias e as tecnologias mais disruptivas. Daí que a Volvo tenha criado, o ano passado, um fundo especificamente para investir em startups que considera estratégicas para inovar, sobretudo em matéria de segurança – o principal argumento que esgrime face à concorrência. O fabricante sueco anuncia agora o investimento em “duas novas empresas promissoras – a MDGo e a UVeye”.

Trata-se do primeiro investimento que o Volvo Cars Tech Fund realiza fora da Europa e dos Estados Unidos da América. Para mais, reforçando o envolvimento da marca com a Drive, uma incubadora para o aparecimento de novas empresas no sector da mobilidade com a qual a Volvo colabora desde 2017. E foi precisamente na Drive que despontaram a MDGo e a UVeye.

A MDGo é uma startup especializada em inteligência médica artificial. A intenção da Volvo com esta aposta é permitir à tecnologia da MDGo combinar dados reais obtidos através do automóvel, durante um acidente, com conhecimentos médicos. A meta é antecipar o cenário com que os profissionais de emergência terão de lidar no local da ocorrência, comunicando-lhes via cloud as previsões do sistema, para que a resposta possa ser mais eficaz.

Já a UVeye contribuirá para que a Volvo garanta elevados padrões de qualidade nos seus veículos. A empresa israelita tem vindo a desenvolver uma tecnologia que permite avaliar, de forma autónoma, o estado geral exterior de uma viatura, pelo que o fabricante de Gotemburgo planeia recorrer a este scanning avançado para “realizar inspecções completas aos automóveis, logo à saída das linhas de produção”.