Rádio Observador

Volta a França

A natureza quis, o miúdo sonhou, a obra vai nascer: Bernal segura amarela e tem Tour na mão aos 22 anos

186

Bernal atacou porque tinha de atacar. Passou para a frente quando tinha de passar. Lidera porque tinha de liderar. De amarelo, o jovem de 22 anos aguentou 59km até Val Thorens e é o vencedor virtual.

Egan Bernal, da Ineos, reforçou a liderança do Tour na penúltima etapa e vai chegar este domingo a Paris de amarelo

Getty Images

O sentimento era demasiado genuíno para passar ao lado de qualquer um. As lágrimas, essas, exteriorizavam aquele sonho que se pensa impossível mas que se torna realidade. O discurso foi o seu prolongamento. Frases curtas, ideias claras, uma felicidade que ainda procurava o seu fim. E que, afinal de contas, está apenas agora a começar para durar por muitos mais dias.

“Ter a camisola amarela é a maior emoção da minha vida. Ainda não consigo acreditar. Fiquei com vergonha, quase chorei na subida ao pódio. Vi o meu papá e a minha namorada à minha frente, a chorarem… Foi muito emocionante. Não sei o que esperar amanhã [sábado], é um grande teste. Tenho de me concentrar na etapa, defender a camisola. Espero recuperar bem. Se for para me tirarem a amarela, terão de sofrer por isso”, atirou no final de um dia que mudou por completo o rumo do Tour.

O último fim de semana, que marcou o final da segunda de três semanas da Volta à França em bicicleta, deixou um cenário em aberto para os derradeiros dias de competição. A chegada a Tourmalet Barèges, com Thibaut Pinot na frente e Julian Alaphilippe a defender da melhor forma a liderança (e ganhando tempo a quase todos os concorrentes diretos), parecia quase confirmar que o vencedor seria mesmo um francês. No dia seguinte, na etapa que acabou em Foix Prat d’Albis, Alaphilippe já acusou o esforço das horas anteriores e cedeu tempo para os restantes ciclistas no top 10. O que ninguém conseguiria imaginar era a forma como iria acontecer o verdadeiro golpe de teatro na prova, com o colombiano Egan Bernal a assumir a dianteira da corrida.

“Violentas tormentas”, “rios de barro” ou “bolas de gelo” foram algumas das expressões utilizadas para descrever o autêntico temporal que se abateu na 19.ª etapa que ligava Saint Jeune de Maurienne e Tignes, que obrigou a organização não só a encurtar a tirada mas também a reduzir a 20.ª e penúltima, entre Alberville e Val Thorens, para apenas 59 quilómetros, menos de metade do que estava inicialmente previsto. Do céu veio a desilusão dos franceses, que no mesmo dia viram Pinot desistir em lágrimas com uma rotura muscular e Alaphilippe conformado com a passagem para o segundo lugar da geral a 48 segundos da liderança. Do céu veio o dia mais importante da carreira para Bernal, que acabou na frente quando a etapa foi interrompida.

Egan Bernal garantiu a vitória virtual terminando ao lado do companheiro Geraint Thomas, que ganhou em 2018 (Justin Setterfield/Getty Images)

“Quando a natureza desencadeia a sua força, é mais forte do que a força de todos os humanos”, explicou Christian Prudhomme, chefe do Tour. E foi assim que começou o sonho de colombiano de 22 anos da Ineos, pela forma mais improvável possível mas confirmado da forma mais convincente possível: durante vários quilómetros da curta etapa deste sábado, Bernal conseguiu não só manter ilesa a sua liderança como ganhar mesmo algum tempo a alguns dos adversários do top-5 que tinha uma distância inferior a dois minutos, sendo exemplo paradigmático disso mesmo Alaphilippe que a cinco quilómetros da meta já estava a mais de um minuto e meio de distância do grupo onde seguia o colombiano.

O italiano Vincenzo Nibali, que surgia com ambições neste Tour mas que teve uma prova para esquecer, ganhou a penúltima etapa, à frente de outros dois nomes fortes que se tornaram secundários nesta edição, os espanhóis Alejandro Valverde e Mikel Landa. Na classificação geral, Bernal reforçou a camisola amarela, passando agora a ter uma vantagem de 1.11 minutos sobre o segundo classificado e vencedor da edição de 2018, o companheiro de equipa Geraint Thomas. Steven Kruijswijk (Jumbo, a 1.31 minutos), Emanuel Buchmann (Bora, 1.56) e Julian Alaphilippe (Deceuninck, 3.45).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)