Rádio Observador

Incêndios

Incêndios. Doze concelhos de cinco distritos em risco máximo

Doze concelhos em Bragança, Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda estão com risco máximo de incêndio. Isto apesar de previsões de descida de temperatura e chuva para esta segunda-feira.

Existem cerca de 30 concelhos com risco muito elevado de incêndio

PAULO NOVAIS/LUSA

Doze concelhos dos distritos de Bragança, Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda estão com risco máximo de incêndio e só o litoral norte apresenta um risco reduzido, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Cerca de 30 concelhos estão com risco muito elevado e pertencem aos distritos de Bragança, Vila Real, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra, Santarém, Portalegre, Lisboa e Faro.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave. Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Para esta segunda-feira o IPMA prevê uma decida da temperatura máxima, com valores que não devem ultrapassar os 30ºC (Faro). Em Lisboa, os termómetros não devem exceder os 25ºC. Para o Porto estão previstos 22ºC. Está igualmente prevista chuva fraca no litoral Norte e Centro até meio da manhã e vento moderado a forte nas regiões Centro e Sul.

Risco muito elevado de radição UV em Portugal continental, Madeira e Açores

O território de Portugal continental, a região Autónoma da Madeira e quase todas as ilhas dos Açores apresentam esta segunda-feira um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou em risco muito elevado todos os distritos do continente e o arquipélago da Madeira e, dos Açores, apenas escapa a ilha do Faial, que apresenta risco moderado.

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo). O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

Pelo direito à diferença

José Miguel Pinto dos Santos

Excetuando as geradas por injustiças sociais, todas as outras diferenças devem ser bem-vindas pois trazem variedade à vida, porque permitem o livre desenvolvimento individual e porque não são injustas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)