Dois professores da Califórnia uniram os Estados Unidos e o México de uma forma peculiar: montaram três cavalinhos cor de rosa na linha que separa os países para levar “alegria, entusiasmo e união” à fronteira. As palavras são de Ronald Rael, um dos professores responsáveis pela ideia.

Os baloiços foram construídos numa “vedação” que separa Sunland Park, no Novo México, e a cidade de Juárez, no México, de acordo com o Huffington Post. Para Rael, professor de arquitetura na Universidade da Califórnia, esta é uma forma de ligar dois mundos diferentes.

O muro tornou-se algo central na relação entre os Estados Unidos e o México. (Com os cavalinhos) crianças e adultos podem ligar-se de uma forma sentida sabendo que as ações num dos lados têm consequências diretas no outro”, escreveu o professor no Instagram.

Através de vídeos e fotografias que estão a circular nas redes sociais, é possível ver miúdos (e graúdos) a divertirem-se neste parque de diversões improvisado.

View this post on Instagram

One of the most incredible experiences of my and @vasfsf’s career bringing to life the conceptual drawings of the Teetertotter Wall from 2009 in an event filled with joy, excitement, and togetherness at the borderwall. The wall became a literal fulcrum for U.S. – Mexico relations and children and adults were connected in meaningful ways on both sides with the recognition that the actions that take place on one side have a direct consequence on the other side. Amazing thanks to everyone who made this event possible like Omar Rios @colectivo.chopeke for collaborating with us, the guys at Taller Herrería in #CiudadJuarez for their fine craftsmanship, @anateresafernandez for encouragement and support, and everyone who showed up on both sides including the beautiful families from Colonia Anapra, and @kerrydoyle2010, @kateggreen , @ersela_kripa , @stphn_mllr , @wakawaffles, @chris_inabox and many others (you know who you are). #raelsanfratello #borderwallasarchitecture #teetertotterwall #seesaw #subibaja

A post shared by Ronald Rael (@rrael) on

Há boas relações entre os Estados Unidos e o México e usar os cavalinhos mostra que somos todos iguais e que podemos brincar juntos. Mas isto também mostra que o muro corta a nossa relação”, acrescenta Ronald Rael.

A University of California Press destaca que a ideia é a conceptualização do livro de 2017 Borderwall as Architecture: A Manifesto for the U.S.-Mexico Boundary, cujo autor é, precisamente, Ronald Rael.

“Estamos todos ligados. Somos todos um só”: foi desta forma que o Centro de Educação e Serviços Legais para Refugiados e Imigrantes do Texas “aplaudiu” a ideia. “A arte é um veículo verdadeiramente poderoso para a mudança”, escreveu a organização no Twitter.