Rádio Observador

Saúde

Cerca de 14% das crianças até aos 9 anos expostas ao fumo do tabaco em casa

Estudo feito na Universidade do Minho concluiu que números sobem com alunos do quarto ano: 32,6% já foram expostos diaria ou ocasionalmente. 6,1% das mães e 11,2% dos pais fumam no domicílio.

Na maioria das regiões do país, mais de 25% das crianças, com pelo menos um pai fumador, foram expostos ao fumo, refere o estudo

FRANCISCO ROMÃO PEREIRA/OBSERVADOR

Autor
  • Agência Lusa

Cerca de 14% das crianças portuguesas até aos 9 anos são expostas diariamente ou ocasionalmente ao fumo do tabaco em casa, percentagem que sobe para os 32,6% nos alunos do quarto ano de escolaridade, revela um estudo.

O estudo sobre a “Prevalência de crianças portuguesas expostas ao fumo ambiental do tabaco em casa e no carro” revela que as crianças cujos pais são fumadores e com menor nível de escolaridade estão mais expostas ao fumo ambiental do tabaco em casa.

A investigação, que decorreu entre janeiro e setembro de 2016, é um estudo transversal descritivo que envolveu uma amostra representativa de 2.396 crianças portuguesas dos zero aos 9 anos, estratificada por idade e por região administrativa NUTS II.

Publicado na revista científica da Ordem dos Médicos “Ata Médica”, o estudo revela que 5,4% das crianças estão duplamente expostas ao fumo ambiental do tabaco em casa e no carro.

Segundo a investigação, 5,8% das crianças estão expostas ao fumo em casa diariamente e 8,5% ocasionalmente.

O estudo verificou que 6,1% das mães e 11,2% dos pais fumam no domicílio. Constatou também que 4,5% das mães e 8,3% dos pais fumam no carro.

“A exposição das crianças ao fumo ambiental do tabaco tem diminuído em Portugal. Ainda assim, o consumo de tabaco dos pais e um baixo nível de escolaridade são fatores de risco para a exposição das crianças em casa”, sublinha.

De acordo com o estudo, a exposição ao fumo é maior nas crianças cujos pais têm um menor nível de escolaridade (19,6%) do que naquelas em que os pais têm mais estudos (6,2%).

Essas diferenças foram estatisticamente significativas na amostra total e na maioria das regiões avaliadas (Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Algarve, Região autónoma dos Açores).

Na maioria das regiões do país, mais de 25% das crianças, com pelo menos um pai fumador, foram expostos ao fumo, refere o estudo.

A investigação também aponta que o tabagismo em casa dos pais é um fator de risco para as crianças se tornarem fumadoras no futuro.

“Uma vez que a principal fonte de exposição das crianças ao fumo ambiental do tabaco é o tabagismo dos pais, é necessário promover a cessação tabágica junto dos mesmos, assim como implementar a proibição de fumar no carro”, defende o estudo coordenado por José Precioso, do Instituto de Educação da Universidade do Minho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Saúde

Os últimos dias da Arte Médica?

Eduardo Freire Rodrigues
131

Avaliar a Saúde pela produção não permite discernir qualidade: fazer mais não é fazer melhor; repetir não é fazer bem. Também avaliar os cuidados através de resultados binários é fácil, mas limitante.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)