O Japão decidiu nesta sexta-feira retirar a Coreia do Sul da lista de parceiros comerciais preferenciais por suspeitar que não aplicadas medidas de segurança suficientes no setor tecnológico, num novo agravamento da tensão entre os dois países.

A medida foi aprovada pelo conselho de ministros do Executivo liderado por Shinzo Abe e alarga as limitações que Tóquio está a aplicar desde o início de julho passado aos materiais químicos básicos, que as empresas sul-coreanas compram para fabricar ecrãs e ‘microchips’ de memória.

O Partido Democrata, que governa a Coreia do Sul reagiu no Twitter dizendo que esta foi uma “declaração de guerra económica”, acrescentando que as relações entre os dois países estão em “crise”.

Tóquio argumentou que estas restrições são tomadas por Seul não impedir a utilização destes materiais por países terceiros.

Para a Coreia do Sul, a medida é uma represália do Japão, com raízes na colonização nipónica do país vizinho entre 1910 e 1945.