Rádio Observador

Renault

Novo Clio chega em Setembro e já tem preços

O Clio que não revoluciona por fora, mas impressiona por dentro, chega a Portugal na segunda quinzena de Setembro. A concorrência também se renovou, pelo que a Renault propõe um preço “competitivo”.

A Opel tem um novo Corsa, a Peugeot um novo 208 e a Renault um novo Clio. De repente, o segmento dos utilitários – o mais procurado entre nós – recebe quase em simultâneo três novas gerações, pelo que os consumidores tenderão não só a ter em linha de conta o factor “novidade”, mas igualmente o preço.

A Renault, que tem no Clio o modelo mais vendido do segmento na Europa (uma unidade a cada 60 segundos, segundo a marca) e “o automóvel preferido dos portugueses há seis anos consecutivos”, está apostada em não quebrar este ciclo. Tanto mais que, mesmo depois de anunciada uma nova geração, a anterior (a quarta) continuou a ser líder de vendas no nosso país, no primeiro semestre de 2019. A quinta geração chegará os concessionários portugueses na segunda quinzena de Setembro, sendo proposta por valores que arrancam nos 17.790€, para uma versão com 100 cv a gasolina. “Ou seja, os competitivos preços de sempre, para um Clio totalmente novo, que não herda um único componente da geração anterior”, realça a Renault.

Disponibilizando nove combinações motor/caixa de velocidades, o Clio apresenta-se com dois blocos a gasolina e outros tantos diesel, com potências entre os 85 e os 130 cv. Lá mais para a frente, a partir de 2020, a gama é reforçada com a chegada da versão E-Tech, o primeiro conjunto motopropulsor híbrido no Grupo Renault, que promete baixar os consumos em até 40%, graças à sua capacidade de circular 80% do tempo (em cidade) apenas em modo eléctrico.

A gasolina, a oferta arranca com o 1.0 TCe (um três cilindros turbocomprimido), com 100 cv e 160 Nm de binário às 2.750 rpm. Com mais 10 cv de potência e 20 Nm relativamente ao TCe 90 que substitui, esta nova motorização implica desembolsar cerca de mais 1.900€, prometendo em troca reduzir o consumo e as emissões de CO2 – 5,2 l/100 km em ciclo misto e com caixa manual de cinco velocidades. Mas este novo motor resultante das sinergias da Aliança também poderá ser acoplado a uma transmissão automática X-TRONIC, da mesma forma que será proposto numa versão bi-fuel a GPL. Além do TCe 100, no lançamento do novo Clio, o utilitário francês poderá recorrer ao mais potente TCe 130 FAP, já conhecido dos Captur, Mégane, Scénic e Kadjar. Com 130 cv e 240 Nm, esta alternativa está exclusivamente associada à caixa automática EDC de sete velocidades (com patilhas no volante), que dá o seu contributo para anunciar consumos entre os 5,7 e os 5,8 l/100 km em ciclo misto.

A gasóleo, as opções dividem-se entre as versões de 85 cv/220 Nm ou 115 cv/260 Nm do 1.5 Blue dCi, acoplado a uma caixa manual de seis relações.

Pode consultar aqui todos os preços e aqui as informações de produto (equipamentos e opções).

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)