Já se sabia que, mais cedo ou mais tarde, os Volvo, construtor que foi adquirido pelos chineses da Geely, iriam começar a ser fabricados na China. O movimento já tinha começado com os S90, mas agora é a vez do XC60, um modelo muito mais importante (em termos de vendas) para o mercado do Velho Continente. Com a tradicional desconfiança que se olha para os produtos chineses, é mais que natural que a qualidade dos veículos suecos fabricados na China seja analisada à lupa.

A Volvo até aqui fabricava na Suécia e na Bélgica, mas o salto para a China poderá fazer tremer a confiança dos potenciais novos proprietários, tendo em conta as recentes dificuldades da Land Rover com o seu parceiro chinês (Chery), cujos modelos produzidos na China têm tantos problemas de qualidade e fiabilidade que motivaram manifestações à porta da empresa – e as manifestações em países comunistas estão longe de ser uma constante. Mas a Geely é um construtor com uma visão de longo prazo para o mercado europeu e muitos europeus já estão habituados a adquirir comprar produtos, alguns dos quais caros face à concorrência, feitos na China. A começar pelos iPhone da Apple, todos produzidos em território chinês, ainda que sob o controlo de qualidade dos americanos.

Os novos XC60 vêem directamente de Chengdu, no Sul da China, de onde saem por comboio para Ghent. A primeira remessa chegou à Bélgica no início de Julho, estando já a caminho de 25 países do Velho Continente. Isto marca o fim dos XC60 europeus fabricados em Torslanda, na Suécia.