Rádio Observador

Brasil

Brasil. Traficante de droga tentou fugir da prisão disfarçado de mulher

"Baixinho" levava uma peruca, roupa da filha e uma máscara dada por uma grávida que o tinha visitado umas semanas antes. Foi apanhado em flagrante a tentar fugir da prisão.

Em fevereiro de 2013, o homem tinha conseguido fugir de outra prisão mas foi apanhado um mês depois

Um traficante de droga brasileiro foi apanhado a tentar fugir da Prisão Gabriel Ferreira Castilho, no Rio de Janeiro, disfarçado de mulher com as roupas da filha, noticiou o Globo. Clauvino da Silva, também conhecido por “Baixinho”, foi descoberto este sábado pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária com uma máscara de silicone, peruca, óculos e a roupa que a filha lhe deve ter passado na última visita na cadeia. Agora foi transferido para uma cadeia de alta segurança, a Laércio da Costa Pelegrino, também no Rio de Janeiro, e ficará em isolamento pelo menos durante 10 dias.

Depois de ter sido apanhado pela polícia, Clauvino da Silva foi levado para uma sala e desmascarado. Um vídeo mostra o recluso de mãos atrás nas costas com a polícia a retirar a peruca com cabelos escuros e lisos. A seguir, a polícia pede a “Baixinho” que retire a máscara de silicone. E ele obedece.

De acordo com o jornal O Globo, Clauvino da Silva foi apanhado em flagrante pelas autoridades, que desconfiam que terá sido a filha, Ana Gabriele Leandro da Silva, de 19 anos, a fornecer-lhe as roupas para o disfarce — já que foi ela a única visita que “Baixinho” recebeu no fim de semana. O plano era o seguinte: quando saísse da cadeia, Clauvino recolheria o cartão de visita que a filha havia deixado na portaria. Ana Gabriele sairia mais tarde e, no momento de recolher o cartão de visita, alegaria que os funcionários tinham perdido o documento.

Ana Gabriele Leandro da Silva já foi encontrada pelas autoridades e é suspeita do crime de facilitação de fuga, punido com entre seis meses e dois anos de prisão. Mas Ana Gabriele não deve ter sido a única aliada de “Baixinho” nesta tentativa de escapar à prisão. A polícia desconfia do envolvimento de outras oito pessoas no plano de fuga de Clauvino. A máscara de silicone que Clauvino usava, por exemplo, deve ter sido levada para o interior da prisão por uma grávida que o havia visitado uns tempos antes. Essa máscara escapou aos olhos dos polícias porque as grávidas não são revistadas como outras visitantes.

Esta não era a primeira vez que Clauvino da Silva tentava fugir da cadeia. Em fevereiro de 2013, “Baixinho” foi um dos 31 presos que tentaram escapar pelo esgoto do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Rio de Janeiro. Conseguiu sair da cadeia, mas foi apanhado na rua pouco tempo depois. No mês seguinte foi detido enquanto tentava invadir o Morro da Fortaleza. No cadastro, Clauvino da Silva já acumula uma pena de 73 anos e 10 meses de prisão.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)