Os concelhos de Alcoutim, Tavira e Castro Marim, no distrito de Faro, estão esta quarta-feira em risco máximo de incêndio, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Ainda assim, está prevista uma queda das temperaturas, acompanhada por chuva nas regiões Norte e Centro.

O IPMA prevê nebulosidade para esta quarta-feira, em especial no litoral oeste, chuva nas regiões Norte e Centro, em especial no litoral e a partir da tarde, e uma pequena descida da temperatura máxima nas regiões do interior.

As temperaturas máximas vão oscilar entre os 32º, em Beja, Évora e Santarém, e os 23º, em Viana do Castelo, ao passo que as mínimas vão variar entre os 14º, na Guarda, e os 22º, no Funchal.

Os distritos de Bragança e Guarda, o arquipélago da Madeira e duas ilhas dos Açores estão em risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), diz o IPMA.

Os distritos de Bragança e Guarda e as ilhas de São Miguel e das Flores, nos Açores, apresentam risco de exposição à radiação UV de nível 8, enquanto o arquipélago da Madeira está classificado com nível 10 de risco, numa escala que vai de 1 a 11, e em que este é considerado “risco extremo”.

No resto do país, o risco de exposição aos UV está entre o elevado (Vila Real, Viseu, Lisboa, Portalegre, Évora, Setúbal, Faro e Ilha Terceira) e o moderado.

Na região Sul, encontram-se em risco muito elevado de incêndio os concelhos São Brás de Alportel, Loulé, Silves e Portimão, pertencentes ao distrito de Faro, bem como Mértola e Almodôvar, no distrito de Beja.

A norte, os concelhos na mesma situação são Guarda, Celorico da Beira, Pinhel, Trancoso, Ferreira de Castelo Rodrigo, Mêda e Vila Nova de Foz Côa (distrito da Guarda), Sernancelhe, Penedono, Tabuaço, São João da Pesqueira e Tarouca (Viseu), Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Carrazeda de Ansiães, Alfândega da Fé, Mogadouro, Vila Flor, Vimioso, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Bragança (Bragança), Murça, Alijó e Sabrosa (Vila Real), segundo o IPMA.

No entanto, a maior parte do país, está nesta quarta-feira em risco moderado ou reduzido de incêndio, sobretudo a região centro e litoral oeste do país, aquelas que apresentam a situação menos gravosa dentro destes cinco níveis de risco de incêndio determinado pelo IPMA, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.