Rádio Observador

Donald Trump

Trump vai a El Paso e Dayton apesar de oposição local

As opiniões dividem-se sobre a deslocação do chefe da Casa Branca aos locais dos tiroteios do fim de semana.

Na segunda-feira, Trump pediu pena de morte para os autores dos tiroteios

Getty Images

O Presidente dos EUA, Donald Trump, desloca-se esta quarta-feira a El Paso, sul do Texas, e a Dayton, no estado do Ohio, quatro dias após os dois tiroteios nos Estados Unidos que provocaram pelo menos 32 mortos. Prevê-se a chegada a Ohio pela manhã, antes de se deslocar para El Paso já durante a tarde.

As opiniões dividem-se sobre a deslocação do chefe da Casa Branca, acusado por diversos setores de fomentar o ódio racial nos seus discursos. A determinação de Trump, anunciada no seu discurso oficial, em combater o extremismo continua a ser questionada por parte da população. E as comparações com Barack Obama são inevitáveis sobretudo depois de o ex-Presidente democrata ter apelado na segunda-feira à rejeição — mas sem nomear diretamente o seu sucessor — dos discursos que “normalizam” o racismo.

Em Dayton, ainda não se esqueceu, a gaffe cometida por Trump durante o discurso na Casa Branca de reação aos ataques. Enquanto lia o teleponto, o presidente dos Estados Unidos disse erradamente “Toledo”, em vez de “Dayton”. Nan Whaley, a presidente da Câmara de Dayton, onde nove pessoas morreram, disse na altura, de forma irónica: “Ele disse que viria em algum dia desta semana, ouvi falar em quarta-feira mas eu não recebi nenhum telefonema. E ele pode ir a Toledo, não sei”.

Já mais tarde, Nan Whaley disse estar pronta para receber oficialmente Trump. Em declarações ao The New York Times, afirmou esperar que o Presidente leve “valor e ajude a comunidade”, e “que não se trate apenas de um sucesso de imprensa”: “Espero sim que ele realmente faça alguma coisa”.

Em El Paso, a tensão em relação à visita de Donald Trump é mais intensa, havendo protestos na rua com cartazes a dizer que o Chefe de Estado não é bem vindo. Alguns líderes políticos da cidade pediram mesmo  que o Presidente cancelasse a visita. “Não deve vir enquanto estivermos de luto”, disse Veronica Escobar, congressista democrata da região, citada pelo jornal norte-americano.

O antecessor de Veronica Escobar e candidato à nomeação presidencial democrática em 2020, Beto O’Rourke, também faz parte da lista de opositores à visita. Na terça-feira, Donald Trump disse no Twitter que o político tinha um nome que “indicava a sua heraça hispânica” e pediu-lhe para “estar calado”. O’Rourke rapidamente contestou: “El Paso não vai ficar calado e eu também não”.

Já o presidente da Câmara de El Paso, o republicano Dee Margo, garantiu que iria deixar a visão pessoal de lado. “Quero esclarecer, por motivos políticos, que sou o mayor de El Paso, que está oficialmente a receber o gabinete do Presidente dos Estados Unidos, o que considero ser meu dever formal”.

Kellyanne Conway, conselheira do Presidente, denunciou na terça-feira a “politização dos tiroteios” do passado fim de semana pela oposição e assegurou que Trump “está empenhado em juntar o país”. O responsável de El Paso do Partido Republicano, Adolpho Telles, manifestou-se mais cauteloso face à vista do chefe da Casa Branca, cujas “boas ideias” não são “sempre acompanhadas” de frases “apropriadas”.

As autoridades norte-americanas já definiram o ataque em El Paso protagonizado por Patrick Crusius, um branco de 21 anos, e que foi detido, como um “crime de ódio” e o procurador local anunciou que vai ser solicitada a pena de morte.

Na segunda-feira, Trump pediu pena de morte para os autores dos tiroteios, apelando para que a execução seja feita rapidamente.

“Ordenei ao Ministério da Justiça que proponha uma lei que garanta que aqueles que cometem crimes de ódio e assassínios em massa sejam punidos com a pena de morte e que a pena de morte seja implementada rapidamente, decisivamente e sem demora”, afirmou na Casa Branca.

Classificando os tiroteios como “crimes contra a humanidade”, o Presidente dos EUA defendeu que o país deve condenar a ideologia da supremacia branca, considerada como ponto de origem de um dos tiroteios.

Trump exortou também esta quarta-feira os congressistas Republicanos e Democratas a aprovarem regras mais restritivas de verificação de antecedentes de quem queira comprar armas de fogo, sugerindo, porém, que tais medidas devem estar ligadas a uma reforma migratória.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Global Shapers

Imigrantes, sejam bem-vindos 

Hugo Menino Aguiar

Olhar apenas para migrações como estratégia para compensar o envelhecimento da população não é razoável mas é uma parte importante da solução e representa oportunidades óbvias que devemos explorar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)