Rádio Observador

Meteorologia

Chuva não afasta incêndios e há oito concelhos do país em risco muito elevado

Beja, Évora, Santarém, Castelo Branco e Portalegre serão as zonas mais quentes do país esta quinta-feira. Chuva vai manter-se no norte e litoral e oito concelhos estão em risco muito elevado de fogo.

A chuva só deverá dar tréguas a partir de sábado

TIAGO PETINGA/LUSA

A semana trouxe chuva e uma queda nos termómetros. Ainda assim, esta quinta-feira, as temperaturas podem ultrapassar os 30º C em vários distritos e o risco de incêndio mantém-se. Lisboa tem uma máxima prevista de 26º C e o Porto não deve ir além dos 24º C. Se está a banhos no Algarve, Faro será das únicas zonas de Portugal com céu limpo esta quinta-feira, de acordo com dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Com temperaturas a rondar os 32º C, Beja, Évora, Santarém, Castelo Branco e Portalegre serão as zonas mais quentes do continente. Já no litoral e norte do país, a chuva vai continuar e deve estender-se ao interior na sexta-feira.

Nenhuma zona de Portugal apresenta esta quinta-feira risco máximo de incêndio, mas oito concelhos do sul e região centro estão com risco muito elevado. Loulé, São Brás de Alportel, Tavira, Alcoutim e Castro Marim, no distrito de Faro, são os concelhos do sul do país que estão sob aviso de risco de incêndio, muito elevado, o segundo mais perigoso numa escala de cinco. Proença-a-Nova e Vila Velha de Rodão, no distrito de Castelo Branco, bem como Marvão, em Portalegre, são os outros concelhos que correm maior risco de incêndio.

Toda a restante zona sul do país e grande parte do centro estão em risco elevado ou moderado, ao passo que o litoral oeste e o norte apresentam um risco reduzido, de acordo com o IPMA.

O sol deve voltar a partir de sábado, ainda que com uma ligeira descida nas temperaturas.

Madeira e sul do país em risco muito elevado de exposição aos raios UV

Os distritos de Setúbal, Portalegre, Évora, Beja e Faro, o arquipélago da Madeira e parte dos Açores estão ainda em risco “muito elevado” de exposição à radiação ultravioleta (UV), avisa o IPMA.

As zonas do país que apresentam maior risco de exposição à radiação UV são o Algarve, o Baixo Alentejo e o arquipélago da Madeira, classificados com nível 10 de risco, o segundo mais gravoso numa escala que vai de 1 a 11, sendo este último considerado “risco extremo”.

Ainda em risco “muito elevado” de exposição aos raios UV, encontram-se os distritos de Évora (nível 9), Portalegre e Setúbal, e as ilhas Terceira e do Faial (todas com nível 8).

No resto do país, o risco de esposição aos UV anda entre o elevado (Lisboa, Santarém, Leiria, Guarda, ilhas de São Miguel e Flores), o moderado (Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Bragança e Vila Real), e o baixo (Aveiro, Porto, Braga e Viana do Castelo).

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ambiente

Frango à Covan /premium

Paulo Tunhas

Para uma vasta parte da humanidade ocidental, nada há de mais apetecível do que um certo sentimento de culpa própria. Por estranho que pareça, esse sentimento comporta um notório benefício narcísico. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)