Rádio Observador

Câmara Municipal Lisboa

Câmara de Lisboa apresenta esta sexta-feira plano de defesa da floresta contra incêndios

Freguesias abrangidas por sessões de sensibilização serão Ajuda, Benfica, São Domingos de Benfica, Campolide, Alcântara e Belém. Parque florestal de Monsanto também é destaque.

LUSA

A Câmara de Lisboa vai apresentar esta sexta-feira à população da freguesia de Benfica o plano de defesa da floresta contra incêndios, nomeadamente os cuidados a ter na utilização do parque florestal de Monsanto.

Em declarações à agência Lusa, o vereador da Proteção Civil, Carlos Castro (PS), explicou que este “é um trabalho que a Câmara já está a desenvolver há alguns anos, que tem sido aprofundado de ano para ano, quer com o serviço municipal de Proteção Civil, quer com a equipa do Parque Florestal de Monsanto”.

Ao longo dos últimos três anos, têm sido feitos “trabalhos regulares do ponto de vista de análise e de verificações que são necessárias de fazer no parque de Monsanto para garantir a sua segurança”, disse o vereador, acrescentando que neste momento a autarquia está a fazer sessões de esclarecimento e de informação junto da população.

“Estamos a alargar este trabalho à comunidade e a informar a população sobre os cuidados a ter no parque florestal”, vincou o responsável pela Proteção Civil na capital.

Questionado sobre que conselhos são dados à população, o vereador Carlos Castro disse apenas: “Não fazerem fogueiras e terem os cuidados na altura do período quente em que há circunstâncias mais adversas”.

“Porque temos por um lado calor, a baixa da humidade, e, portanto, pode ser um fator de risco. Além de outros cuidados que depois são transmitidos pelos técnicos da Proteção Civil às pessoas e também cuidados que devem ter em casa”, acrescentou.

As freguesias abrangidas por estas sessões serão Ajuda, Benfica, São Domingos de Benfica, Campolide, Alcântara e Belém. Este trabalho enquadra-se no Plano Operacional Municipal de Lisboa atualmente em vigor.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Segurança Social

A dívida implícita de Portugal

José Marques

Nos últimos 40 anos, período no qual se deu a maioria da acumulação desta dívida implícita, houve uma acumulação média, silenciosa, de dívida equivalente a mais de 10% do PIB por ano.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)