Rádio Observador

Porsche

Este é o 1º Porsche construído e vale 20 milhões

257

Depois de desenhar o Type 1, o conhecido Carocha, sob encomenda de Hitler, Ferdinand Porsche construiu este Type 64, o primeiro veículo fabricado pela sua marca. Vai a leilão por 20 milhões.

O Type 64 é a prova de que um engenheiro consegue fazer milagres a partir de um produto básico. Em 1934, Hitler encomendou a Ferdinand Porsche um carro barato, capaz de transportar uma família a 100 km/h com um consumo de 7 litros/100 km, com a obrigatoriedade de ter o motor refrigerado a ar, uma vez que a água nos radiadores (o anticongelante ainda estava a dar os primeiros passos) congelava nas zonas mais frias da Alemanha. E Porsche concebeu o Type 1 (ainda que sobre alguns conceitos de Béla Barényi, de 1925), o popular Carocha.

Sobre este veículo simples e concebido para ser robusto e barato, Ferdinand Porsche decidiu construir um carro para si, o Type 64, substancialmente mais rápido, eficaz e divertido de conduzir. Além de o utilizar no dia-a-dia, Porsche construiu o seu desportivo para participar em competições como o Berlin-Roma, que deveria realizar-se em Setembro de 1939, corrida que foi cancelada após a Alemanha invadir a Polónia. Ainda assim, o Type 64 foi construído – este e mais dois exemplares –, e vai agora a leilão na Monterey Car Week, que se realiza na Califórnia entre 9 e 15 de Agosto. Veja aqui a opinião de Chris Harris, da Top Gear:

O Type 64 é efectivamente o primeiro Porsche jamais produzido, exibindo a marca da família do seu criador na frente, por cima da grelha. A Porsche já existia como empresa desde 1931 – na realidade “Dr. Ing. H. c. F. Porsche GmbH” –, mas até 1939 assumia-se como um gabinete de engenharia, ajudando os outros fabricantes a conceber motores e outros sistemas necessários aos automóveis, mas não só. Foi há exactamente 80 anos que Porsche concebeu o Type 64, com base numa plataforma do Carocha, devidamente reforçada, e com uma carroçaria em alumínio, extremamente aerodinâmica.

O motor do primeiro Porsche continuou a ser o a ser o do VW Type 1, um quatro cilindros opostos com 1,1 litros, que se originalmente debitava 23,5 cv, depois de “mexido” por Porsche, “disparou” para 32 cv ou 40 cv. A potência pode não impressionar, mas se considerarmos que o peso caiu para apenas 610 kg, é de esperar um dinamismo muito superior, tanto em aceleração como na travagem e em curva.

Das três unidades fabricadas, este é o único Porsche Type 64 que se encontra em estado original, ainda que em mau estado de conservação. A outra unidade foi destruída durante a guerra, tendo sido recuperada, ao que parece, com peças retiradas do terceiro Type 64, encontrando-se hoje no Museu Automóvel Petersen, em Los Angeles.

O proprietário do único Type 64 capaz de circular na via pública vai este fim-de-semana a leilão, com a RM Sotheby’s a estimar que a oferta vencedora ronde os 20 milhões de dólares. Veja aqui mais um vídeo do avô do 911:

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)