Um homem entrou armado numa mesquita em Bærum, nos arredores de Oslo, e abriu fogo, atingindo uma pessoa, que ficou ferida.

A notícia foi confirmada pela polícia de Oslo, que garantiu já ter a situação controlada. Depois de ter sido agarrado e neutralizado por três homens que estavam na mesquita, o atirador foi detido.

De acordo com  o jornal Budstikka, o atirador tinha um capacete e um colete à prova de bala quando entrou pela entrada principal da mesquita. O Aftensposten adianta também que o atirador tinha duas caçadeiras. Chegada ao local, a polícia afirmou ainda que foram encontradas “várias armas” na mesquita.

A polícia acredita que não há mais suspeitos envolvidos. De acordo com vários media noruegueses que estão no local, a zona da mesquita está agora rodeada por várias ambulâncias e carros da polícia.

De acordo com a NRK, o primeira alerta recebido pelas autoridades foi às 16h07 locais (15h07 de Lisboa). Porém, referindo-se que a chamada foi feita por uma pessoa que falava pouco norueguês, a NRK adianta o alerta não recebeu uma resposta imediata. Só mais tarde, já por volta das 16h30 locais, depois de mais alertas a surgirem da mesquita, é que a polícia respondeu adequadamente.

De acordo com o jornal norueguês Dagbladet, ainda não há informações sobre a identidade do atirador, sabedndo-se apenas que é branco.

Em 2011, a Noruega foi palco de uma sangrento duplo atentado, primeiro em Oslo e depois na ilha de Utøya, onde decorria o acampamento de verão a juventude do Partido Trabalhista. Antes de pôr em prática aquele atentado terrorista, o autor, ‎Anders Behring Breivik, deixou um manifesto onde apontava para a existência de uma invasão muçulmana na Europa.

Este ano, a 15 de março, um homem australiano pôs em prática um duplo atentado em Christchurch, na Nova Zelândia, atingindo uma mesquita e um centro islâmico. O atentando resultou na morte de 51 pessoas. O seu autor deixou também um manifesto antes de ter iniciado o atentado, copiando assim muitos dos métodos do terrorista norueguês.