Rádio Observador

Hong Kong

Interesse nos vistos ‘gold’ portugueses aumenta em Hong Kong devido à tensão política

Consultora chinesa observou um pico em pesquisas recentes em Hong Kong, com um aumento de 260% em junho em relação ao ano anterior na procura aos vistos decorrentes de compra de imóveis.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.331), seguida do Brasil (801), Turquia (353), África do Sul (303) e Rússia (269)

TIAGO PETINGA/LUSA

Agências imobiliárias de luxo em Hong Kong afirmaram que os pedidos de informação sobre a compra de propriedades em Portugal, para obter vistos ‘gold’, têm vindo a aumentar, numa altura de crescente tensão política na cidade.

“Temos notado mais pedidos de informação sobre propriedades em Portugal por parte de compradores de Hong Kong, nos últimos meses. Muitos veem a residência portuguesa como uma opção alternativa na Europa”, disse a diretora de operações da List Sotheby’s, Binoche Chan, ao jornal South China Morning Post (SCMP).

Segundo a analista em imobiliário, os requisitos para obter residência em Portugal “são relativamente baixos em relação a outros destinos populares”.

O aumento dos pedidos de informação coincide com a escalada das tensões em Hong Kong, na mais grave crise política desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China, em 1997, desencadeada pela apresentação de uma proposta de alteração à lei da extradição, que tem levado, desde o início de junho, a protestos de milhares de pessoas em diferentes pontos da região administrativa especial chinesa.

A proposta, que permitiria a extradição de suspeitos de crimes para jurisdições sem acordos prévios, como é o caso da China continental, foi já suspensa, mas as manifestações generalizaram-se e reivindicam agora medidas para a implementação do sufrágio universal no território, a demissão da atual chefe do Governo, uma investigação independente à violência policial e a libertação dos detidos ao longo dos protestos.

A Henley & Partners, consultora especializada em questões de residência e cidadania, observou um “pico incrível” em pesquisas recentes em Hong Kong, com um aumento de 260% em junho em relação ao ano anterior. O número de consultas em julho mais que dobrou em relação ao mês anterior.

“Em 2019, mais inquéritos de cidadania são provenientes de Hong Kong do que qualquer outro território asiático, incluindo a China continental. Em Hong Kong, a maioria das pessoas com alto património líquido está a decidir agora que precisa de um plano de reserva e uma residência no exterior, caso precisem sair rapidamente da cidade”, disse o sócio-gerente da Lesperance & Associates, David Lesperance, ao mesmo jornal.

“Para alguns, a Europa é um destino óbvio. Portugal é, juntamente com a Grécia, a maneira mais fácil e barata de obter residência permanente na Europa”, acrescentou o responsável da empresa, também especializada em pedidos de obtenção de vistos de residência.

Em Portugal, o programa Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), lançado em outubro de 2012, registou um investimento acumulado até julho de 4,7 mil milhões de euros, com a aquisição de imóveis a somar 4,3 mil milhões de euros.

Os vistos “dourados” atribuídos por via da transferência de capital ascendem a 459 milhões de euros.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 7.738 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018 e 776 em 2019.

Até julho último, em termos acumulados, foram atribuídos 7.291 vistos ‘gold’ por via da compra de imóveis, dos quais 357 tendo em vista a reabilitação urbana.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.331), seguida do Brasil (801), Turquia (353), África do Sul (303) e Rússia (269).

O SCMP, que cita informações do portal imobiliário Juwai.com, apontou que de abril a junho, a procura chinesa e de Hong Kong por imóveis em Portugal aumentou 40,4% em relação ao ano anterior, o maior número de consultas em qualquer trimestre desde 2016.

“Portugal não é um dos dez melhores países para compradores chineses, mas para aqueles que procuram um visto ‘gold’ está entre os três primeiros”, disse o presidente executivo da Juwai.

Georg Chmiel lembrou que Lisboa foi classificada, já este ano, pela consultora Price WaterhouseCoopers (PwC) como a melhor cidade em investimentos imobiliários e entre as principais cidades europeias em termo de perspectiva de desenvolvimento.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)