Sessenta e seis  anos depois, o pequeno e simpático veículo que conhecemos como BMW Isetta, com um comprimento de apenas 2,3 metros (o Smart Fortwo tem 2,7 m) e em que a frente é uma imensa e única porta, regressa ao mercado mais moderno, eléctrico, suíço e barato. Não com emblema BMW, porque na realidade o modelo sempre foi um Iso italiano (apresentado em 1953), construído pelos alemães, entre outros fabricantes, sob licença.

Propriedade dos helvéticos da Micro-Mobility e apelidado de Microlino, o Isetta dos tempos modernos tinha previsto (e contratado) ser fabricado pelos italianos da Tecno Meccanica Imola (TMI), do Grupo Tazzari, que iria desenvolver e produzir o pequeno citadino. Mas tudo mudou em 2018, ano em que produção deveria arrancar. Tudo porque a TMI foi adquirida pelos alemães da Artega e as relações com os suíços azedaram.

A Micro-Mobility, que continua a receber pedidos de encomenda para o seu Microlino, acusa a Artega – que, entretanto, tem mudado de dono com alguma frequência – de não ter terminado o desenvolvimento do modelo. Logo, recusa-se a liquidar o pagamento final e dar início à produção. A Artega, por outro lado, alega que o carro está pronto e que ao não pagar o acordado, os suíços permitem que seja a Artega a proprietária do projecto, tanto mais que estes anunciam ter realizado mais de 150 alterações ao projecto original.

Isto explica que a Artega esteja a vender o Microlino através do seu site, mas rebaptizado Karolino. Como seria de esperar, o caso vai a tribunal, cabendo à justiça decidir se afinal vamos ter o Microlino, o Karolino, ambos ou… nenhum. O que é pena, pois o veículo parece interessante e, sendo proposto por apenas 12.000€, mercado não lhe faltaria.