As autoridades afegãs disseram este domingo que pelo menos 63 pessoas morreram e 182 ficaram feridas num atentado contra um local onde decorria um casamento, no sábado à noite, em Cabul.

O balanço inicial, fornecido por fontes hospitalares, apontava para duas dezenas de feridos, na explosão ocorrida às 22h40 (19h10 em Lisboa), no local da festa de casamento, na zona oeste da capital do Afeganistão.

“Entre as vítimas contam-se mulheres e crianças”, afirmou o porta-voz do Ministério do Interior afegão Nasrat Rahimi.

Um responsável afegão, citado pela agência noticiosa Associated Press (AP) indicou tratar-se de um atentado suicida.

O atentado não foi reivindicado, mas porta-vozes dos talibãs negaram a implicação dos rebeldes no ataque.

Os casamentos afegãos, com várias centenas de convidados, são um alvo preferencial para os terroristas.

Em 12 de julho, pelo menos seis pessoas morreram e 14 ficaram feridas num ataque suicida numa cerimónia na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, que tem uma presença crescente no país.