Rádio Observador

Aston Martin

Chineses enganaram a Aston Martin em 22,8 milhões

103

Os responsáveis pela Aston Martin foram enganados por uma startup. Além do prejuízo, o fabricante britânico passou pelo embaraço de ter que alterar a sua contabilidade. Sem contar com o acordado.

Autor
  • Observador

Em Outubro de 2018, a Aston Martin chegou a acordo com a Detroit Electric para lhe vender por 22,8 milhões de euros os moldes e as ferramentas de produção usadas no último Vanquish. E quem é a Detroit Electric? Na realidade, ninguém sabe. O que se sabe é que não é de Detroit, mas sim de Hong Kong e é uma startup chinesa que, tanto a Aston Martin sabe, pode ter sido formada nas vésperas.

Com o contrato assinado, o construtor britânico levou a operação às contas, e com prazer, pois não esperava realizar qualquer encaixe pela venda de direitos num veículo que já não fabrica. Mas o primeiro pagamento de 5 milhões de libras nunca chegou, de acordo com a Autonews Europe. Nem os seguintes. Logo, mais de um ano após o contrato ter sido assinado, o construtor teve de alterar a sua contabilidade, afirmando já não contar com a verba que tinha sido combinada.

A situação coloca em causa quem manda na Aston Martin. O construtor foi em tempos controlado pela Ford, que fez um péssimo trabalho – ao nível do que revelou na Volvo, Jaguar, Land Rover e outros –, até que foi adquirido por um grupo de investidores, a maioria ingleses, que fizeram questão em manter a nacionalidade britânica no reputado fabricante. Mas estes 22,8 milhões de euros (20,8 milhões de libras) perdidos serão muito difíceis de ultrapassar, sobretudo porque a esta falta de “atenção” de quem manda na Aston Martin se junta uma quebra nas vendas. Mais: numa clara decisão contra a corrente, o fabricante de Crewe não está a investir grandemente nos híbridos e nos eléctricos – até se gabou de os seus clientes não quererem soluções mais amigas do ambiente. Bem ao contrário do que acontece com a Bentley, Ferrari e afins.

Ao que parece, a Detroit Electric está de alguma forma ligada a Albert Lam, ex-director da Lotus. Alegadamente, o objectivo deste novo fabricante chinês, que prometia tornar-se na nova Tesla, passava pela produção de um Vanquish eléctrico. Até porque, argumenta a Detroit Electric, possui instalações (que ninguém conhece) em Leamington Spa – em Inglaterra, próximo da sede da Aston Martin.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)