O Governo recebeu um email a avisar que a greve dos motoristas ia provocar o caos, fazendo parar muitos serviços e lembrando que assim caiu um governo no Chile, avançou o Expresso. O executivo receou que fosse uma ameaça ao Estado e participou a situação à Procuradoria Geral da República (PGR) e às Secretas.

A população vai revoltar-se e (..) está muito iminente uma revolução civil que pode não ser tão civilizada como o 25 de Abril de 1974″, escreveu Fernando Frazão.

O email foi enviado por Fernando Frazão, um motorista que, em janeiro deste ano, deu boleia a Marcelo Rebelo de Sousa, de Lisboa ao Porto, porque o Presidente queria conhecer as dificuldades que enfrentavam os profissionais do setor.

Em sete parágrafos, o motorista lembra que foi uma greve deste tipo, há 50 anos, que fez cair o governo no Chile, que a agricultura e a indústria iam ter problemas, que iam faltar bens de primeira necessidade nos supermercados e que “as centrais termo-elétricas reduzirão a potência energética e dar-se-á um crise energética instalando-se o caos”.

O Governo queria que o caso fosse investigado para se perceber se era uma ameaça real ou se se tratava de uma tentativa de insurreição. A PGR não encontrou um crime nas palavras do motorista e os serviços de informação também desvalorizaram o desabafo de Fernando Frazão.