Donald Trump “promete” não construir uma Trump Tower na Gronelândia, o território autónomo da Dinamarca que quer comprar por ser um “grande negócio imobiliário”. A fotomontagem foi publicada no Twitter pelo Presidente dos Estados Unidos. A mesma imagem foi usada pelo filho Eric Trump no Instagram, mas com uma mensagem uma pouco diferente: “Não sei quanto a vocês, mas eu adoro a ideia de comprar a Gronelândia”.

Na quinta-feira passada, o Wall Street Journal avançou que Donald Trump tinha falado, em várias ocasiões, sobre a possibilidade de os Estados Unidos comprarem o território da Gronelândia ao governo dinamarquês, em parte devido aos recursos naturais disponíveis na ilha e também pela posição relevante daquela zona no Ártico.

No domingo, o Presidente norte-americano confirmou aos jornalistas que era verdade, ainda que não fosse a sua prioridade número um — nem mesmo um tema que esteja planeado para a visita que fará à Dinamarca, em setembro. Donald Trump vê alguns benefícios estratégicos para os Estados Unidos, mas destaca a importância enquanto negócio imobiliário.

“Basicamente, é um grande negócio de imobiliário. Estrategicamente, seria bom para os Estados Unidos. Vamos analisar”, disse Donald Trump aos jornalistas.

“A Gronelândia não está à venda. A Gronelândia não é da Dinamarca. A Gronelândia pertence à Gronelândia. Espero sinceramente que isto não seja a sério”, disse Mette Frederiksen, primeira-ministra dinamarquesa. A ministra dos Negócios Estrangeiros da Gronelândia, Ane Lone Bagger, também rejeitou a ideia: “Estamos disponíveis para negociar, mas não estamos à venda.”

Corrigido às 10 horas de 21 de agosto: Mette Frederiksen é primeira-ministra dinamarquesa