Rádio Observador

Festivais de Música

Festival de Metais Graves em Alcobaça na última semana de agosto

O Festival Internacional de Metais Graves -- Gravíssimo! arranca em Alcobaça, onde, até ao final do mês, formações nacionais e internacionais protagonizam concertos diários, masterclasses e oficinas.

Ant

Autor
  • Agência Lusa

O Festival Internacional de Metais Graves — Gravíssimo! arranca na segunda-feira em Alcobaça, onde, até ao final do mês, formações nacionais e internacionais protagonizam concertos diários, ‘masterclasses’ e oficinas.

Organizado pela Academia de Música de Alcobaça, sob a direção artística de Sérgio Carolino (tuba) e Hugo Assunção (trombone), o festival contará, no dia 26, com os Moderato Tangabile e Fact no concerto de abertura.

Formado por Sérgio Carolino e pelo pianista e compositor Daniel Schevetz, o duo propõe sonoridades, sobretudo, da América do Sul, num concerto que passa pelo tango, milonga, balada e jazz.

Na terça-feira o recital de solistas leva ao placo Eufónios e Tubas para interpretar obras de Anne Victorino d’Almeida, Timothy Higgins, Vincent Pagés, Elizabeth Raum, Luís Cardoso, Daniel Schvetz, Jon Hansen.

O programa seguirá na quarta-feira com mais um recital de solistas, num espetáculo a mostrar jovens talentos a interpretar obras de Handel, Richard Strauss, Eugéne Bozza, Ivan Moody, Nelson Jesus, Juraj Filas e Anthony Plog.

Aos Young Blood Blowers seguir-se-ão os Bones Slides’N Pistons, com os trombones tenores, baixos e o Ensemble de Metais Graves a interpretarem, no dia 28, Hidas Frigyes, Ricardo Mollá, Daniel Bernardes, Timothy Bowers, Daniel Schnyder, Jon Hansen, Anne Victorino d’Almeida, Rui Bandeira, Sergei Rachmaninov, Ruperto Chapi e Geronimo Jiménez.

No dia 29 sobe ao palco o teatro instrumental do Coletivo Breathe!, com obras de Mauricio Kagel e Vinko Globokar e, no Museu do Vinho, atuarão o Duo Tubax & European Tuba Trio.

Finalmente, no dia 30, o festival despede-se com Robin Eubanks Quartet. A par dos concertos, decorrem, durante o festival, ‘masterclasses’ e oficinas para jovens músicos. O festival que ostenta desde 2017 o selo da Associação Europeia de Festivais cumpre este ano a 9.ª edição.

As entradas para os espetáculos oscilam entre os três e os cincos euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
História

O azar do museu Salazar /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A ignorância e o fanatismo, que estão na origem dos totalitarismos, combatem-se com a verdade e o conhecimento. A ditadura não se vence com a ignorância, mas com a ciência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)