Rádio Observador

Moçambique

Presidente moçambicano afasta três governadores candidatos da Frelimo nas provinciais

A "dispensa" dos três governadores, cabeças-de-lista da Frelimo, partido do Presidente da República Filipe Nyusi, visa aparentemente permitir que se concentrem na campanha eleitoral.

Pela primeira vez na história do país, os governadores das dez províncias moçambicanas serão designados através de eleição dos cabeças-de-lista dos partidos ou coligações concorrentes

ANTÓNIO SILVA/LUSA

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, afastou os governadores das províncias de Cabo Delgado, Júlio Parruque, de Niassa, Francisca Tomás, e de Manica, Manuel Rodrigues, anunciou esta terça-feira, em comunicado, a Presidência da República.

A nota não aponta as razões do afastamento, mas os três governadores são cabeças-de-lista da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, nas eleições às assembleias provinciais de 15 de outubro, e, por essa via, candidatos a governadores provinciais.

A “dispensa” dos três governadores, como é descrito o afastamento no comunicado, visa aparentemente permitir que se concentrem na campanha eleitoral.

Para governador da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, foi indicado como substituto Armindo Ngunga, atualmente vice-ministro da Educação e Desenvolvimento Humano, e para a província de Niassa, no norte, foi apontada Leda Hugo, vice-ministra do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia.

Para a província de Manica, no centro de Moçambique, foi indicada Manuela Rebelo, que ocupa atualmente o cargo de vice-ministra dos Transportes e Comunicações.

Na segunda-feira, a Comissão Nacional de Eleições (CNE) decidiu, por votação, que os três governadores afastados dos seus cargos podem concorrer como cabeças-de-lista da Frelimo nas assembleias provinciais de outubro, rejeitando uma contestação da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição.

A Renamo considera ilegais as candidaturas dos três governadores e de Judite Massangueia, também da Frelimo, às assembleias provinciais.

Júlio Parruque é cabeça-de-lista à assembleia provincial de Cabo Delgado, Francisca Tomás à província de Manica, Manuel Rodrigues, por Nampula, e Judite Massangueia por Niassa.

Pela primeira vez na história do país, os governadores das dez províncias moçambicanas serão designados através de eleição dos cabeças-de-lista dos partidos ou coligações concorrentes, acabando-se com a nomeação pelo Presidente da República.

A eleição dos membros das assembleias provinciais vai decorrer em simultâneo com as eleições presidenciais e legislativas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)