Vista Alegre numa viagem à Amazónia

Na sua viagem àquela que é a maior floresta tropical do mundo, a Vista Alegre não se limitou a partir em busca de inspiração. A influência mais direta chegou da obra “Viagens Philosophicas”, de Alexandre Rodrigues Ferreira, naturalista que, na segunda metade do século XVIII, documentou em mapas e gravuras a fauna e a flora da Amazónia. Desenvolvida em parceria com a Ecoarts Amazōnia, uma organização que se dedica à plantação de árvores de fruto nativas em cidades, aldeias indígenas e áreas rurais deste território, a coleção que resulta da expedição ao outro lado do Atlântico reúne, pela primeira vez, todas as marcas do grupo — Vista Alegre, Casa Alegre e Bordallo Pinheiro. Da faiança e da porcelana ao grés e ao cristal, esta edição especial conta com mais de 70 peças, todas elas com representações de espécies animais e botânicas do grande pulmão brasileiro, seriamente ameaçado pela desflorestação. Parte das receitas obtidas com a venda da coleção vão reverter para a Ecoarts. Os preços variam entre 11 e 165 euros.

Zoeva chega às lojas Sephora

Há um ano, a marca chegava à loja online da Sephora. O sucesso fez a cadeia repensar a distribuição e colocar os best-sellers da Zoeva em 14 lojas portuguesas. Destaque para a paletas de sombras e para os cobiçados pincéis que, mais do que ferramentas indispensáveis a uma boa maquilhagem, são autênticos objetos de coleção, quase vendidos individualmente e em conjunto completo. Entre eles estão os Bamboo Luxury, com cabo em bambu, ou os famosos Rose Golden. Os preços começam em 10,50 euros e chegam aos 133,50 euros.

Andy Warhol x Eastpak

A pop art de Andy Warhol é uma fonte inesgotável de inspiração e, desta vez, foi a norte-americana Eastpak a dedicar uma coleção a um dos artistas mais proeminentes do século XX. Na década de 60, Warhol produziu uma das suas obras mais emblemáticas — as Latas de Sopa Campbell –, ícone que é agora reproduzido pela marca numa edição de bolsas, mochilas e sacos, com três variações de cor à escolha. Há ainda uma mochila em pele que apenas revela a obra de arte no forro. Os preços vão dos 35 aos 240 euros.

Sequin Fight por Mafalda Nunes

Da avalanche de nomes que, na última década, se tornaram conhecidos no universo digital português, quis a blogosfera que o de Mafalda Nunes perdurasse. Quase dez anos depois de se ter dado a conhecer na internet, ela aposta agora no lançamento de uma marca própria, a Sequin Fight (qualquer coisa como “Luta de Lantejoulas”). Mafalda não quer vincular-se a um único segmento, por isso, o primeiro lançamento inclui peças de vestuário, acessórios e até elementos decorativos. Os preços variam entre 25 e 185 euros.

© Sérgio Santos

Mantsho x H&M

Cheios de cor e movimento, os motivos tipicamente sul-africanos chegam à H&M através de uma colaboração da multinacional sueca com a marca Mantsho, criada em 2004, pela designer Palesa Mokubung. Enquanto meio mundo espera pela grande colaboração do próximo outono, este ano com o designer italiano Giambattista Valli, esta coleção adianta-se com silhuetas veraneantes e acessórios de inspiração tribal. “Black is beautiful” é a mensagem por detrás do nome da marca, uma expressão em sesoto, língua materna da fundadora. A coleção marca a primeira colaboração da H&M com o designer africano e chegou às lojas há quase uma semana e, em Portugal, pode ser encontrada online, mas também nas lojas do Chiado e do Colombo, em Lisboa. Custam em 19,99 e 69,99 euros.

Vault by Vans, uma ode à ganga

A marca foi a Mount Vernon Mills, no estado da Georgia, para produzir uma coleção que é uma autêntica ode à ganga. Composta por três modelos de ténis, um saco, um blusão, umas calças e um boné, o novo lançamento resgata a tradição de uma das fábricas mais antigas do setor, a laborar há mais de 150 anos. Em vez do habitual aspeto da ganga, as peças exibem riscas sem que, ainda assim, percam a versatilidade. Os preços variam entre os 25 e os 150 euros.

“Vimos e Gostámos” é uma rubrica que pretende mostrar os novos lançamentos que vale a pena conhecer.