Portugal vai esta quarta-feira ao mercado para colocar até 1.000 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) a três e a 11 meses, de acordo com a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP).

“O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 21 de agosto pelas 10h30 horas dois leilões das linhas de BT com maturidades em novembro de 2019 (BT 22NOV2019) e em julho de 2020 (BT 17JUL2020)”, informou em 16 de agosto o IGCP.

Segundo a entidade liderada por Cristina Casalinho, os dois leilões têm um montante indicativo global entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros.

No último leilão comparável, em 19 de junho, Portugal colocou 1.250 milhões de euros, montante máximo anunciado, em BT a três e a 11 meses, a taxas de juro ainda mais negativas nos dois prazos.

De acordo com a página do IGCP na agência Bloomberg, a 11 meses foram colocados 1.000 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,395%, mais negativa do que a registada em 17 de abril, quando foram colocados 950 milhões de euros a -0,368%.

A três meses foram colocados, também em 19 de junho, 250 milhões de euros em BT à taxa média de -0,425%, mais negativa do que a verificada em 17 de abril, quando foram colocados 300 milhões de euros a -0,415%.

A procura atingiu 1.705 milhões de euros para os BT a 11 meses, 1,71 vezes superior ao montante colocado, e 775 milhões de euros para os BT a três meses, 3,10 vezes o montante colocado.