Rádio Observador

Liga Europa

Sá Pinto espera um Spartak de Moscovo ao nível dos ‘grandes’ em Portugal

Sá Pinto considera o Spartak uma equipa "madura, com experiência e qualidade" e pede, por isso, um Braga muito cuidadoso: "É importante fazer um bom resultado e isso passa por não sofrer e marcar".

Sporting de Braga e Spartak de Moscovo defrontam-se a partir das 19h45 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga

HUGO DELGADO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O treinador do Sporting de Braga, Ricardo Sá Pinto, disse esta quarta-feira que os jogos do ‘play-off’ de acesso à Liga Europa com o Spartak de Moscovo serão tão difíceis como os embates com os ‘grandes’ portugueses.

Sem dúvida, será um jogo da mesma exigência [como com Benfica, FC Porto e Sporting]. Será um jogo muito difícil para nós, mas também para eles. É uma equipa muito madura, com jogadores internacionais nos diversos setores, com experiência e qualidade, muito perigosa no contra-ataque e no ataque rápido”, disse na conferência de imprensa de antevisão da partida da primeira mão, que se realiza na quinta-feira, em Braga.

O técnico quer, por isso, um Braga muito cuidadoso. “Temos que ser equilibrados em todos os momentos e agressivos defensivamente e não dar espaço a jogadores como Schurrle, Bakaev ou Ponce”, disse.

Para Sá Pinto, “os detalhes vão fazer a diferença nesta eliminatória”, considerando que “as duas equipas têm valor para passar à fase de grupos”. “É importante fazer um bom resultado e isso passa por não sofrer e marcar: é o resultado que queremos para amanhã (quinta-feira)”, afirmou.

A Rússia é sexta classificada no ‘ranking’ da UEFA e Portugal sétimo e, para Sá Pinto, esse é outro motivo para querer bater os moscovitas. “Queremos fazer as duas coisas, ajudar o Braga a entrar na fase de grupos e Portugal através dessa qualificação”, disse.

O técnico não quis revelar se vai fazer alterações em relação ao onze que começou o jogo em Alvalade, contra o Sporting, no domingo (derrota por 2-1), mas frisou que, seja qual for a equipa, isso não significa fazer gestão. “Não faço gestão, faço uma convocatória a pensar que aqueles jogadores são os melhores para aquele jogo. Tenho muitos e bons jogadores, mas não os posso meter a todos. Estou muito satisfeito com a prestação de todos. Na quinta-feira jogarão os que têm as características ideais para começar este jogo”, disse.

o extremo Ricardo Horta frisou a vontade da equipa em chegar à fase de grupos. “O Braga está a querer chegar perto dos ‘grandes’ e temos de estar nas competições europeias para mostrar quão fortes somos, vamos lutar por isso”, garantiu.

O Spartak de Moscovo já leva oito jogos oficiais esta época, o dobro dos do Braga, mas o jogador português considera que a equipa está preparada fisicamente para o embate. “Estamos com muita ambição e ilusão para jogar este jogo, é um jogo difícil, mas é destes jogos que gostamos [e são estes] nos fazem crescer. Todo o plantel está pronto para jogar e certamente vamos fazer dois grandes jogos para esta grande equipa”, disse.

Questionado pelos jornalistas russos sobre a importância da Liga Europa para as equipas portugueses, Sá Pinto respondeu: “Em Portugal não descuramos nada, não abdicamos de nada, tudo é importante”.

Sporting de Braga e Spartak de Moscovo defrontam-se a partir das 19h45 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem do espanhol Xavier Estrada Fernández.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)