Parece que é cada vez mais difícil produzir anúncios do que quer que seja. Que o diga a Volkswagen, que criou um vídeo publicitário para o e-Golf, de momento o seu modelo eléctrico mais vendido, apenas para o ver retirado do ar após, alegadamente, três queixas de telespectadores.

Além de entusiasmarem o público, realçarem as características do produto e criarem apetência para o mesmo, os vídeos promocionais têm agora – desde Junho de 2019, por pressão da ONU e do regulador britânico – de respeitar o estereótipo de género, ou seja, não serem sexistas.

O filme em causa, produzido para a televisão, deveria ser estar no ar no Reino Unido. As imagens revelam o que parece ser um casal a preparar-se para dormir numa tenda montada no topo de um penhasco, uma mulher a preparar umas sanduíches, alguém (não discriminado) a colocar roupa na máquina de lavar, dois astronautas na Estação Espacial Internacional (EEI), um atleta amputado a treinar salto em comprimento e uma mulher sentada num banco de jardim, junto a um carrinho de bebé, com a mensagem “Quando aprendemos a adaptarmo-nos, não há nada que não consigamos atingir.”

A mensagem refere-se ao e-Golf, mas houve quem nela vislumbrasse um conteúdo sexista, acusando o anúncio da Volkswagen de ser machista, ao colocar a mulher a desempenhar o papel de mãe e a fazer umas sandes, como se estas fossem actividades menores face ao homem, que surgia em funções mais sofisticadas a bordo da EEI. Contudo, o anúncio censurado reflecte a vida real, pois nos parques há efectivamente mais mulheres a passear as crianças, da mesma forma que há mais atletas amputados do sexo masculino e há mais homens astronautas, uma vez que pela última contagem, dos 563 indivíduos que já visitaram o espaço, apenas 11% são mulheres. Veja o filme e dê-nos a sua opinião na caixa de comentários.