Foi provavelmente uma das perseguições policiais mais lentas de sempre. A polícia neozelandesa perseguiu um homem que seguia numa cadeira de rodas elétrica sem respeitar os sinais de trânsito e as condições de segurança adequadas. Durante alguns minutos uma carro patrulha seguiu o homem que ia utilizando passeios e becos para se escapulir, como mostra este vídeo do jornal britânico The Guardian.

Charlie Durham tem 60 anos e está numa cadeira de rodas desde que dois acidentes distintos o obrigaram a amputar as duas pernas. Alegadamente seguia a uma velocidade perigosa no seu móbil elétrico e a polícia queria pará-lo para o adverter. Mas Durham não parou à primeira tentativa da polícia, nem à segunda, nem a terceira. Foram alguns momentos de perseguição em plena via pública. “Não parei porque pensava que era uma carrinha de gelados a tentar vender-me um gelado. E eu não queria um gelado”, justificou-se o homem mais sexagenário mais tarde.

Num comunicado, a polícia neozelandesa explicou que o homem se recusou “a parar e evitou ativamente o carro de patrulha da polícia. Essa prática continuou por um certo período de tempo, durante o qual a polícia tentou parar o piloto por várias vezes. O homem evitou sempre de forma ativa as tentativas da polícia para o deter”.

Além desta justificação, o neozelandês que ainda recebeu gritos de apoio enquanto fintava o carro da polícia — “go old man, go“, pode ouvir-se no vídeo disponível no site do jornal britânico — explicou que estava com pressa para chegar a casa para fazer o seu habitual chá da tarde, já que, como explicou o canal TVNZ, sem o chá a sua tarde “ficaria totalmente estragada”.

Assim, Charlie Durham foi atuado com duas multas num total de cerca de 144€, uma por conduzir o móbil elétrico de forma desadequada e outra por evitar as tentativas de detenção da polícia.