As imagens foram recolhidas pelos peões que assistiam incrédulos ao desfile, pelas ruas de Ibiza, de um Ferrari conduzido por um homem que, em cima do capot do motor – talvez para elevar ainda mais a temperatura –, transportava uma jovem nua. O vídeo fez furor nas redes sociais e acabou por ser notícia na Fox News, não só pela confusão que gerou no trânsito, como também pelo facto de a polícia espanhola estar à procura do condutor, da jovem e do veículo.

O condutor, que parece nunca ter tirado os olhos da estrada nem do charuto que fumava enquanto conduzia, parecia apreciar a viagem e a música, nada preocupado com a agitação que causava entre as pessoas que viam o carro passar. A jovem, pelo seu lado, dançava ao ritmo da música que o Ferrari debitava tão alto que emudecia o estridente V8 atmosférico, sobre o qual a mulher colocou o “traseiro”.

Não sabemos a que tipo de negócio se dedica o condutor mas, se estiver no ramo dos carros usados, arranjou uma péssima forma de promover o seu produto. Isto porque das centenas ou milhares de pessoas que viram o “desfile” do binómio Ferrari/jovem, muitos conseguirão descrever a mulher até ao mais ínfimo pormenor, mas apenas os amantes de desportivos perceberão que “aquela coisa vermelha” se trata de um Ferrari 458 Spider, fabricado a partir de 2012 e capaz de atingir 320 km/h e os 100 km/h em 3,4 segundos, graças ao seu motor 4.5 V8 atmosférico com 570 cv.

Como o passeio do Ferrari com a jovem despida, tal como veio ao mundo, decorreu dentro da marina de Ibiza, serão as autoridades portuárias que vão analisar a questão, com a polícia a admitir estar em contacto com quem gere o tráfego dentro da marina e pronta a prestar-lhe todo o apoio.

A polícia acredita ainda que não será difícil identificar o veículo, “pois não há assim tantos Ferrari como este em Ibiza”, afirma. Caso seja identificado, “o condutor poderá ter de pagar uma multa de 500€”, avançam as autoridades, sem contudo especificar se a coima se deverá ao facto de estar a fumar enquanto conduzia, de se deslocar a velocidade muito reduzida e ter dado uma espreitadela pelo retrovisor, ou se pela presença da jovem ter provocado algum bulício no trânsito dentro da marina.