Rádio Observador

Auto

Como a Mercedes persegue os clientes que não pagam

1.512

Desde Março de 2018 que todos os carros produzidos na União Europeia são obrigados a ter eCall, um sistema de transmissão de dados e geolocalização que só deveria ser usado em situações de emergência…

Daimler AG - Global Communications Mercedes-Benz Cars

O debate sobre o direito à privacidade reacendeu-se no Reino Unido, depois de a Mercedes admitir que rastreia os carros dos seus clientes e que se serve dessa informação para localizar e recuperar veículos de clientes que entram em incumprimento no pagamento acordado em contratos de financiamento.

Para “perseguir” os devedores, a marca da Daimler recorre ao sistema de geolocalização com que todos os veículos são obrigados a estar equipados desde meados de 2018, o chamado eCall. Sucede que esta tecnologia tornou-se obrigatória na União Europeia para salvar vidas, devendo ser exclusivamente utilizada em situações de emergência. Não para recuperar carros de clientes inadimplentes.

O caso foi denunciado pelo The Sun, suscitando questões de violação do direito à privacidade, com a CNN Business a reportar que a celeuma em terras de Sua Majestade é tal que várias personalidades, incluindo o ex-secretário de Estado conservador David Davis, pedem ao Governo que investigue a prática.

Pelo seu lado, a Mercedes mostra-se despreocupada com esta técnica para reaver os veículos dos caloteiros, assegurando que os visados concordaram em ser rastreados, sendo este um dos termos do contrato de financiamento. Através de um porta-voz, a marca da estrela assume que recorre à tecnologia de geolocalização ao serviço do eCall, mas afirma que o faz apenas “em casos excepcionais”, como último recurso. Isto é, quando o cliente não só falha o pagamento como também não responde ao pedido de devolução do veículo. “Queremos deixar bem claro que não fazemos um rastreamento constante”, enfatiza o fabricante de Estugarda.

Ouvida pela CNN Business, a organização não-governamental britânica Privacy International, pela voz de Christopher Weatherhead, defende que “o que a Mercedes está a fazer é tecnicamente ilegal”.

Recorde-se que a legislação aprovada pelo Parlamento Europeu para obrigar à implementação do eCall em todos os novos veículos comercializados no espaço da União Europeia definia que a chamada automática de emergência só seria efectuada em caso de acidente grave e, nessa circunstância, limitar-se-ia a comunicar dados básicos (mas essenciais para a eficácia da resposta), como o tipo de veículo em causa e o respectivo combustível, a hora do acidente, o número de ocupantes e, claro, a localização do carro.

O Observador contactou a Mercedes para perceber se esta prática também é comum em Portugal. O porta-voz da marca afirma “não ter informação sobre o assunto”.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt
Estilo de Vida

Um vício anacrónico

Rui Martins

Num padrão de vida urbano, com uma saída de fim-de-semana por mês e trabalhando e vivendo em Lisboa, ter carro e não o substituir pelo transporte público ou mobilidade partilhada é um vício anacrónico.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)