Rádio Observador

Floresta

França propõe um fundo internacional para a Amazónia

274

A proposta surge na sequência do "fracasso" do fundo brasileiro. Será independente dos Estados e servirá para lançar ações de luta concretas contra incêndios florestais e para o reflorestamento.

BERNARDO SILVA / FUNAI / HANDOUT/EPA

A Guiana Francesa e a ministra francesa dos Territórios Ultramarinos, Annick Girardin, propuseram este domingo a criação de um fundo internacional “contra incêndios florestais e para reflorestamento”, quando os fogos na Amazónia estão a causar emoção mundial.

“A França, país da Amazónia. Preserve esse bem comum da humanidade”, é o título de um artigo publicado este domingo pelo Journal du Dimanche, assinado pela governante francesa e pelos representantes políticos da Guiana, território francês da América do Sul, fronteiriço com o Brasil e que é tocado diretamente por estes incêndios.

Esta proposta surge na sequência do “fracasso” do fundo brasileiro, explicam os responsáveis.

A floresta amazónica, que se estende por nove países, incluindo a França, perdeu mais de 550.000 km2 [quilómetros quadrados] nos últimos dez anos”, e após uma moratória de vários anos, o desmatamento começou a acelerar, “principalmente no Brasil”, lamentam.

“Esses hectares perdidos são todos sumidouros de carbono aniquilados, é uma biodiversidade excecional que desaparece pouco a pouco”, acrescentam, aplaudindo a recusa de Macron de ratificar o atual acordo comercial da UE-Mercosul.

Por isso, “face ao fracasso do Fundo Amazónia, do Brasil,” sugerem um “fundo internacional, que não dependesse diretamente dos Estados, e que pudesse lançar ações de luta concretas, pontuais, dirigidas diretamente aos atores locais, contra incêndios florestais e para o reflorestamento”.

Os signatários também pedem “à União Europeia que duplique o seu fundo de desenvolvimento inter-regional dedicado à biodiversidade e ao desenvolvimento da Amazónia”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Alterações Climáticas

A lei do EROI

Marco Robalo

Ouvimos muito falar na esperança em tecnologias, mas este debate foge da realidade e concentra-se em ideias de ficção científica, pois ninguém sabe como resolver as necessidades de consumo instaladas.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)