Rádio Observador

Saúde Pública

Empresa que confecionou carne com listeria assegura que cumpre requisitos de higiene

“Se as bactérias são encontradas em salas de cirurgias como podem não estar na minha fábrica?”, disse o gerente da Magrudis, empresa espanhola onde foi produzida a carne que originou o surto.

Os produtos responsáveis pelo surto são “chincharrón” andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca “La Mechá”

Universal Images Group via Getty

O gerente da Magrudis, empresa espanhola onde foi produzida a carne que originou um surto de listeriose em Espanha e que já afetou mais de 200 pessoas, assegurou que a fábrica em Sevilha tinha um protocolo diário de limpeza e higiene.

“Se as bactérias são encontradas em salas de cirurgias como podem não estar na minha fábrica?”, disse em declarações ao jornal espanhol ABC.

As declarações de José Marín surgem depois de no domingo a Ordem dos veterinários de Sevilha ter avançado que na origem do surto poderá estar uma falha interna da empresa “muito provavelmente, falta de higiene no processo de fabricação do produto”.

José Marín assegurou ao jornal que na fábrica foram tomadas todas as medidas para evitar situações “como a deste surto de listeriose, que começou a 15 de agosto, que afetou mais de 200 pessoas e causou a morte a uma mulher de 90 anos.

“Embora isto não signifique a ruína, vai custar-nos muito ultrapassar esta situação”, disse o gerente, lamentando a situação em que se encontram as pessoas afetadas pelo surto.

O gerente da empresa explicou que “dias antes da carne ser embalada”, um relatório externo à Magrudis certificava que a carne assada “não tinha listeria”.

José Marín disse também duvidar de que um recipiente de fermento tenha sido contaminado como aponta um relatório preliminar do laboratório municipal de Sevilha, já que “está ajustado a 240 graus”.

Contudo, o responsável reconhece que depois da carne assada, os dispositivos são levados para uma zona refrigerada.

O gerente admite que “teve alguns fracassos empresariais”, mas diz que é uma pessoa “honesta e honrada” e insiste que só desejam que não haja vítimas.

O surto de listeriose teve origem na Magrudis onde foi confecionada a carne de marca “Mechá”, embora as análises preliminares tenham revelado que também existia contaminação no lombo com Jerez, no lombo com pimentão e lombo caseiro que esta fábrica distribuiu à empresa Comercial Comercial Martínez León e que foi vendida como marca branca.

Os produtos responsáveis pelo surto são “chincharrón” andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca “La Mechá” tendo o Ministério da Saúde espanhol recomendado à população que não consuma os produtos de carne embalada desta marca.

Todos os produtos embalados identificados pelo Ministério da Saúde espanhol foram distribuídos na Andaluzia e em Madrid, exceto o lombo caseiro temperado com pimentão que foi comercializado apenas na Andaluzia.

Em Portugal, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária esclareceu na quarta-feira passada que a carne contaminada com a bactéria ‘Listeria monocytogenes’ da marca “La Mechá” e os produtos com origem no fabricante (Magrudis) espanhol, não são comercializados em território português.

A listeriose é uma infeção causada pela bactéria ‘Listeria monocytogenes’, habitualmente associada ao consumo de alimentos contaminados. De acordo com informação disponível no ‘site’ SNS24 do Serviço Nacional de Saúde, a listeriose pode causar febre, calafrios, dores musculares, enjoo, vómitos, diarreia.

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária alerta os viajantes que tenham como destino as regiões de Madrid e Andaluzia, para a necessidade de adoção de medidas preventivas, nomeadamente a eliminação de produtos da marca que eventualmente possam ter adquirido.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

A rampa cada vez mais deslizante

Pedro Vaz Patto

Deve uma sociedade que se pretende solidária confirmar, a pretexto de respeito pela vontade do doente, a ideia de que a pessoa demente é um peso difícil de suportar e deve, por isso, ser eliminada?

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)