O francês Eric Cantona vai receber o prémio presidente da UEFA por ter sido “um futebolista de elevado calibre” e por colocar “todo o seu coração e alma a apoiar as causas em que acredita”, anunciou esta terça-feira o organismo.

O presidente da UEFA, o esloveno Aleksander Ceferin, elogiou a carreira de Eric Cantona, de 53 anos, dentro e fora do campo, reconhecendo que a postura do antigo número sete do Manchester United encaixa na perfeição no galardão que lhe será atribuído.

O prémio Presidente da UEFA, a entregar a Eric Cantona na quinta-feira, no Mónaco, durante o sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões, reconhece “excelentes realizações, excelência profissional e qualidades pessoais exemplares”.

Em declarações ao sítio da UEFA, Ceferin realçou a sua admiração por Cantona e destacou a postura do ex-internacional francês de pretender melhorar a vida de outros, após ter terminado a sua carreira no futebol.

Apelidado de King (rei), pelos adeptos do Manchester United, mas também conhecido por enfant terrible, devido à sua indisciplina, Cantona retirou-se em 1997, aos 30 anos, para se dedicar à interpretação, ao futebol de praia e a várias causas de caridade.

Cantona é apoiante da iniciativa Common Goal, que financia instituições de caridade de “grande impacto mundial”, e contribui com um por cento do seu salário anual para o projeto, cofundado pelo médio do Manchester United, Juan Mata.

Entre os vencedores anteriores do galardão presidente da UEFA encontram-se ex-jogadores como Alfredo Di Stéfano, Bobby Charlton, Eusébio, Raymond Kopa, Johan Cruyff, Francesco Totti e David Beckham.