Cinco toureiros espanhóis vão lidar os touros de morte da edição deste ano das Festas de Barrancos, que começam na quarta-feira para cumprir uma tradição legalizada há 17 anos devido a um regime de exceção.

Conhecidas como “Fêra de Barrancos”, as festas, que se tornaram “famosas” pelos touros de morte e misturam celebrações religiosas e divertimentos pagãos em honra de N. Sra. da Conceição, a padroeira da vila raiana do distrito de Beja, no Alentejo, vão decorrer até sábado.

Como “manda” a tradição, o “pontapé de saída” da “fêra”, organizada pela comissão de festas da vila, vai ser dado na quarta-feira, feriado municipal, às 8h00, com a tradicional alvorada, animada pela Banda Filarmónica Fim de Século de Barrancos. Seguem-se as tradicionais celebrações religiosas, ou seja, uma missa na igreja Matriz de Barrancos, às 11h00, e uma procissão por ruas da vila, a partir das 18h00.

Após as celebrações religiosas, os divertimentos pagãos vão dominar a noite de quarta-feira e os restantes três dias das festas, os quais vão começar sempre às 8h00 com os tradicionais “encerros”. Através dos “encerros”, os touros a lidar nas touradas de morte – o “prato forte” das festas de Barrancos e as únicas legais em Portugal, devido a um regime de exceção aprovado em 2002 – serão conduzidos até aos curros da praça de touros.

Entre quinta-feira e sábado, a partir das 18h00, as touradas de morte, oficialmente designadas “tradicionais festejos taurinos” e que serão animadas pela Banda Filarmónica Fim de Século, prometem encher a arena de Barrancos, a improvisada praça de touros construída anualmente e de propósito para as festas, na Praça da Liberdade, no centro da vila.

Na quinta-feira, os toureiros Javier Castaño e Javier Jimenez vão lidar os dois touros de morte da corrida inaugural. Os dois touros de morte da segunda corrida, na sexta-feira, vão ser lidados pelos toureiros Rafael Serna e Alfonso Cadaval. Na terceira e última corrida, no sábado, o toureiro Damian Cataño vai lidar o quinto e último touro de morte da “fêra” de Barrancos deste ano.

Também como “manda” a tradição, a última corrida vai terminar com uma vacada, na qual uma vaca será lidada por novilheiros e aficionados e depois morta na arena no meio de uma roda de pessoas.

O ‘cachondeo’ (divertimento) das Festas de Barrancos prolonga-se pelas noites fora com espetáculos musicais de grupos, artistas e dj portugueses e espanhóis, a partir das 22h00, na Praça da Liberdade, e a partir das 00h00, no Quintalão de Festas e no Parque de Feiras e Exposições.