A Força Aérea espanhola vai substituir em setembro de 2021 o caça C-101, o modelo que na segunda-feira caiu no Mediterrâneo e matou o piloto, por um modelo mais recente. Segundo o ABC, o governo espanhol autorizou em abril uma verba de 225 milhões de euros para a substituição do aparelho que é utilizado desde 1980.

O C-101, conhecido por “melro”, é um avião de treino avançado de fabrico 100% espanhol. Este modelo é também utilizado em exibições da Força Aérea.

A verba permitirá a Espanha a compra de entre 20 a 22 novos aparelhos. Até setembro de 2021, o Ministério da Defesa espanhol quer também adquirir um novo sistema tecnológico para a formação adequada dos alunos, os futuros pilotos da Força Aérea espanhola. Ainda de acordo com a ABC, este sistema pode custar 75 milhões de euros.

Na segunda-feira, Francisco Marín Núñez, piloto da Força Aérea, seguia a bordo de um C-101 e sofreu um acidente cujas causas ainda não são conhecidas. O aparelho caiu de forma abrupta no mar Mediterrâneo, em Múrcia. O piloto terá conseguido ejetar-se, mas acabou por morrer. O acidente ocorreu cerca das 9h38 locais e, depois de horas de buscas, a morte acabaria por ser confirmada.

Entretanto, continuam as buscas para encontrar e recuperar os restos do aparelho no mar.