Rádio Observador

Passadeira Vermelha

Taylor Swift, Rosalía e Lizzo: uma passadeira vermelha para todos os tamanhos

Do XS de Taylor Swift ao XL de Lizzo, passando pelo dramatismo latino de Rosalía, elas foram as estrelas da noite. A passadeira vermelha dos VMA abriu-se a todos os corpos. Veja as imagens.

Newark foi o palco da 36ª edição dos MTV Video Music Awards (VMA), na noite desta segunda-feira. Antes dos prémios propriamente ditos, os convidados brindaram o público com o habitual desfile na passadeira vermelha. Mas a parada de estrelas, verdade seja dita, já viu melhores dias. Tirando a excentricidade de meia dúzia de vedetas — que, ainda assim, conseguiram canalizar toda a originalidade que tinham na direção oposta à do bom gosto –, o famoso pre-show decorreu sem surpresas.

Taylor Swift à chegada ao recinto dos prémios © Dia Dipasupil/Getty Images for MTV

Taylor Swift, que esteve encarregue de inaugurar o palco, chegou cedo e ficou bem na fotografia com um vestido blazer decorado com cristais e umas botas pretas acima do joelho. A imagem gritou anos 80 (e Versace), quer pela abundância de cores vibrantes, quer pelos ombros evidenciados. Na sua passagem pela red carpet, Swift exemplificou melhor do que ninguém como fazer uma escolha competente sem, no entanto, atingir o patamar do memorável. O mesmo se pode dizer das irmãs Hadid, que chegaram poucos minutos antes do início da cerimónia. Uma visão monocromática, no ponto para uma festa de segunda-feira à noite.

A cantora espanhola Rosalía © JOHANNES EISELE/AFP/Getty Images

Mas a noite teve outras protagonistas. Se Swift continua a ser uma beleza clássica, tal como Hollywood e a indústria da música se encarregaram de perpetuar ao longo de décadas, a passadeira vermelha dos VMA abriu alas para outros tipos de corpos e estilos. Lizzo, uma das artistas do momento, levou o seu manifesto de body positivity à letra, fazendo-se notar (ainda mais) com recurso a lantejoulas, plumas e diamantes. Rosalía, por sua vez, carregou consigo todo o dramatismo próprio de uma mulher espanhola — usou um vestido preto, com longas luvas a combinar. Não obstante os seus talentos musicais, Camila Cabello voltou a passar despercebida na passadeira vermelha.

Lizzo © Dia Dipasupil/Getty Images for MTV

No concurso das escolhas ao lado, pode dizer-se que não ficaram vagas por preencher. Heidi Klum distancia-se cada vez mais do tempo em que tirava o fôlego à assistência (por bons motivos, entenda-se), ao passo que a cantora e atriz Hailee Steinfeld, se tivesse pensado duas vezes, teria arranjado melhor do que um vestido digno de baile de finalistas. No caso de Adriana Lima, algo correu mal (ou menos bem, vá), mas na dúvida, será sempre mais fácil culpar o cabelo.

Zara Larsson exibiu a cauda mais longa da noite (mas por pouco tempo, porque se livrou dela para assegurar e emissão televisiva do pre-show). Normani, uma ex-Fifth Harmony, foi o visual mais revelador. Quanto à cantora Ava Max, talvez gostasse de saber que Lisboa terá uma Comic Con, dentro de três semanas. O humor foi, aliás, outro dos ingredientes da noite. H.E.R. adicionou ao modelito uma pequena serpente, referência sempre bem-vinda à performance de Britney Spears, em 2001. Tana Mongeau, uma pessoa da internet, foi mais além e pisou a red carpet com uma cobra verdadeira, amarela e tudo. Isto é ser fã.

Tana Mongeau levou uma serpente para a passadeira vermelha © Dia Dipasupil/Getty Images for MTV

Marc Jacobs também esteve lá. O designer foi o primeiro a receber o recém-criado MTV Fashion Trailblazer Award e fez-se acompanhar de uma comitiva de manequins, todas elas vestidas algumas das suas criações mais icónicas. Veja estas e outras imagens na fotogaleria.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Maternidade

Como dói um sonho quando morre /premium

Eduardo Sá

Arrasta-se para o carro. Chora, finalmente. Grita. Geme. Não acredita que nada daquilo esteja a acontecer. E confronta-se com o absurdo de ter um útero a servir de urna quando, antes, ele era só o céu

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)