Fortes tempestades causaram nesta segunda-feira inundações, cortes em estradas e desvios em voos, afetando diversas regiões de Espanha. A Agência Estatal de Meteorologia espanhola (AEMET) registou num intervalo de seis horas 9.300 raios, enquanto os bombeiros reportaram mais de mil chamadas por socorro.

A cidade mais afetada foi Arganda del Rey, localizada numa zona de vale, atingida por um caudal descontrolado de água que resultou de uma queda intensa de granizo, arrastando carros e móveis para as avenidas principais. Também Madrid viu as suas ruas transformarem-se em rios, sendo mais uma das cidades, ao lado de Valdemoro, Pinto, Rivas, Getafe, Fuenlabrada, que figuraram no mapa dos alertas.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, expressou via Twitter a sua “solidariedade com todos os que estão sofrendo as consequências [das tempestades]”, agradecendo também a ação dos serviços de emergência.

Madrid teve as linhas de metro 6, 7, 9 e 12 cortadas nos dois sentidos, enquanto a linha 5 registou diversos atrasos. Nesta terça-feira de manhã, a linha 9 ainda não tinha sido reaberta. Pelo menos quatro estradas também tiveram o trânsito cortado, segundo o El País.

A AEMET revelou que só na zona da estação de metro Cidade Universitária, foram contabilizados 36 litros por metro quadrado de chuva. Além de diversos prédios inundados pela força da água, o aeroporto também foi obrigado a desviar vários voos. Aviões vindos de Londres, Turim, Bolónia e Doha tiveram de aterrar em aeroportos alternativos.

A presidente da câmara de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, também fez uma publicação no Twitter pedindo “precaução”, e alertando para as fortes chuvas.

“Gota Fria” explica mau tempo

“As chuvas estão sendo fortes, mas nada incomum para essas datas. No final do verão a atmosfera é instável, então há um aumento no ar devido a causas dinâmicas e não-térmicas. Isso faz com que as chuvas sejam bastante vigorosas e pareçam tempestades “, disse Benito Fuentes, meteorologista, ao El País. Segundo um porta-voz do 112 de Espanha, o episódio é uma “clássica tempestade de final de verão”.

Agentes da AEMET explicam que a mudança repentina no clima espanhol, interrompendo o verão e o tempo seco, é um cenário que resulta da chegada do fenómeno DANA. Ao El Español, a agência meteorológica descreveu o fenómeno como uma depressão isolada em altos níveis de atmosfera, ou seja, a formação de nuvens e tempestades é o resultado da colisão de uma massa de ar frio em altos níveis atmosféricos com o ar quente da superfície, sendo comumente chamada de “gota fria”.

Em Madrid o tempo deve voltar ao normal nos próximos dias, e os alertas redirecionam-se para a península oriental e para as Ilhas Baleares. As regiões de Sevilha, Salamanca e Toledo também sentiram o impacto do mau tempo, mas de maneira mais amena.