Os veículos eléctricos poluem menos do que os modelos com motor a combustão, especialmente quando a energia eléctrica for toda, ou quase, gerada por fontes renováveis. Mas só isso pode não bastar para rapidamente reduzir o CO2 na atmosfera, que atingiu máximos históricos e perigosos. Daí que todos os fabricantes estejam de acordo em que a solução passa por pôr mais condutores a utilizar bicicletas e, para aqueles não estão muito virados – ou aptos – para pedalar, trotinetas eléctricas.

A Hyundai, que já tinha apresentado um protótipo de trotineta movida a bateria no CES de 2017, denominada Scooter Concept Project Ioniq, surge agora com a versão quase definitiva, apta para chegar ao mercado e já com características técnicas que se podem partilhar com o público, seu potencial comprador.

O objectivo é simples e passa por permitir que cada cliente da marca, especialmente os que usam os eléctricos do fabricante sul-coreano, possam ter na bagageira uma trotineta eléctrica para percorrer o último quilómetro e, eventualmente, o primeiro quilómetro para quem não tenha garagem em casa e tenha de se deslocar até onde deixou o veículo eléctrico a recarregar.

A trotineta Ioniq pesa apenas 7,7 kg (o normal é 12 kg), tem tracção atrás, uma bateria de iões de lítio com 10,5 A e luzes à frente e atrás, com capacidade de percorrer até 20 km sem necessidade de recarregar, podendo atingir 20 km/h. A “scooter” tem ainda a característica de poder ser dobrada, para ser mais fácil de transportar ou de arrumar na mala – onde poderá recarregar automaticamente –, sendo que a Kia, a outra marca do grupo, deverá em breve apresentar uma proposta similar.

De aplaudir é o facto de a Hyundai estar a prever introduzir, num futuro próximo, a possibilidade de regenerar energia durante a travagem, para incrementar a autonomia sem ter de carregar mais peso (e custo) em baterias. Veja aqui o que a Hyundai tem preparado para si: