Pelo menos três pessoas morreram na ilha japonesa de Kyushu devido a inundações, anunciaram as autoridades, que emitiram esta quarta-feira alertas máximos devido às chuvas torrenciais que afetam o sudoeste do país.

O cadáver de um homem foi encontrado no carro que foi arrastado pela água no município de Saga, disse uma autoridade local à agência de notícias France-Presse. Um idoso morreu afogado em circunstâncias semelhantes no município de Fukuoka.

O porta-voz do governo, Yoshihide Suga, também relatou que outra pessoa em Saga estava em estado de “paragem cardiorrespiratória” — uma expressão usada no Japão para designar uma morte que ainda não foi oficialmente confirmada por um médico. “A polícia e os bombeiros também receberam numerosas chamadas de emergência”, acrescentou Suga.

“Muitos danos foram relatados em diferentes áreas devido a rios que transbordaram, deslizamentos de terra e casas inundadas”, disse o porta-voz do governo, acrescentando que a escala dos danos poderá piorar nas próximas horas.

Com base em alertas climáticos excecionalmente altos, as autoridades locais aconselharam a evacuação de áreas onde habitam 670.000 habitantes. “O risco de desastre é extremamente alto”, disse esta quarta-feira um funcionário da Agência Meteorológica Nacional durante uma conferência de imprensa. “Devemos tomar as precauções máximas para nos proteger (…), não demorem” a abandonar os locais, insistiu o responsável.

O Japão, especialmente no sudoeste, é vítima de chuvas intensas todos anos. As autoridades, no entanto, têm dificuldade em impor ordens de evacuação. Por vezes, é extremamente difícil para a população se deslocar, especialmente à noite e em áreas rurais remotas onde habitam muitos idosos.

Em julho de 2018, mais de 200 pessoas morreram no Japão devido a inundações.