Pelo terceiro ano consecutivo, a consultora Economist Intelligence Unit voltou a escolher 60 cidades de todo o mundo para analisar os níveis de segurança e ordená-las num ranking, segundo os resultados.  A lista Safe Cities Index (SCI) foi divulgado esta quinta-feira numa cimeira sobre cidades seguras, em Singapura. E, pelo terceiro ano consecutivo, as cidades asiáticas continuam a ocupar os primeiros lugares.

Isto porque não há só um primeiro lugar. A análise é feita a partir de quatro indicadores de segurança — digital, sanitária, de infraestruturas e pessoal — que se traduzem em quatro rankings. E, depois, há ainda o ranking final do somatório de todos os indicadores. As cidades da região Ásia-Pacífico aparecem seis vezes nos primeiros 10 lugares do ranking geral, com Tóquio a aparecer em primeiro lugar, pela terceira vez consecutiva — este ano com 92 de 100 pontos. A capital japonesa regista também o desempenho mais forte na categoria de segurança digital, além de ter subido oito posições na categoria de segurança de infraestruturas, desde o segundo SCI, em 2017 — as edições têm vindo a ser feitas de dois em dois anos.

Singapura ocupa o segundo lugar do ranking, com 91.5 pontos (Suhaimi Abdullah/Getty Images for Singapore River One)

Os restantes lugares do pódio também são preenchidos por cidades asiáticas: Singapura aparece em segundo lugar e Osaka em terceiro. Singapura ocupa, aliás, o primeiro lugar quer do ranking de segurança de infraestruturas, quer o de segurança pessoal. Osaka preenche assim o primeiro lugar em falta: o de segurança sanitária.

Osaka ocupa o terceiro lugar do ranking, com 90.9 pontos (Shaun Botterill – FIFA/FIFA via Getty Images)

Só no quarto lugar do ranking geral é que surge uma cidade de um continente diferente: é Amesterdão, com 88 de pontuação, de 100. Segue-se Sydney (também da região Ásia-Pacífico), Toronto, Washington D.C., Copenhaga, Seul e Melbourne (as últimas duas também da região Ásia-Pacífico).

Amesterdão ocupa o quatro lugar do ranking, com 88 pontos (Tristan Fewings/Getty Images for Kimpton De Witt hotel)

Na segurança digital, o segundo lugar é ocupado por Singapura, mas no terceiro já aparece uma cidade norte-americana: Chicago. Na segurança sanitária, o pódio pertence ao continente asiático: Osaka, Tóquio e Seul. Na segurança de infraestruturas, depois de um primeiro e segundo lugar pouco diferentes — Singapura e Osaka — surge uma cidade europeia: Barcelona. Singapura é também o primeiro da lista sobre segurança pessoal, seguida de Copenhaga e Hong Kong — esta última cidade, aliás, estava no top dez do ranking geral, na última edição do SCI. Mas este ano, está fora.

No final da lista, no número 60, está Lagos, na Nigéria, com uma pontuação de 38.1 — que também ocupa os últimos lugares da lista de segurança sanitária e de infraestruturas. Os últimos cinco lugares são ainda ocupados por Caracas na Venezuela, Yangon em Myanmar, Karachi no Paquistão e Dhaka no Bangladesh.