O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1,8% no segundo trimestre, na comparação homóloga, confirmou o Instituto Nacional de Estatística esta sexta-feira. É o mesmo ritmo de crescimento que se tinha verificado no primeiro trimestre. Na comparação entre trimestres, em cadeia, a economia cresceu 0,5%, apesar de uma travagem no investimento.

“No segundo trimestre de 2019, o investimento registou um crescimento homólogo de 6,1%, em volume, após um aumento de 14,0% no trimestre anterior”, assinala o INE em nota divulgada esta sexta-feira. “A procura externa líquida apresentou um contributo menos negativo, de -0,6 pontos percentuais (-2,3 pontos percentuais no trimestre precedente), em resultado da desaceleração mais intensa das importações de bens e serviços relativamente à das exportações de bens e serviços”, acrescenta o INE.

Também relevante é que, neste mesmo segundo trimestre de 2019, o consumo privado das famílias residentes tenha abrandado em volume, passando de um crescimento homólogo de 2,3% no primeiro trimestre para 1,9% no segundo. Na base desta desaceleração está a descida na componente de bens duradouros — que passou de um crescimento de 3,1% no primeiro trimestre para uma
diminuição de 0,2% no segundo trimestre, “particularmente devido ao comportamento da aquisição de veículos automóveis”.