A cidade de Machico, na Madeira, vai ser o palco da “rentrée” política do Partido Socialista, com uma festa-comício com os olhos postos nas eleições regionais daquele arquipélago, mas também nas eleições legislativas de 6 de outubro.

No início deste mês, a secretária-geral adjunta socialista, Ana Catarina Mendes, confirmou a realização de uma festa-comício naquela região autónoma. A iniciativa, marcada para sábado, decorrerá junto ao forte, e contará com animação musical e como “ponto alto” intervenções, que estão previstas para as 15h00.

Além do secretário-geral socialista, António Costa, também vão usar da palavra o presidente do PS-Madeira, Emanuel Câmara, também presidente da Câmara Municipal de Machico, e o cabeça de lista regional, Paulo Cafôfo, ex-líder da autarquia do Funchal.

“É um momento político de recomeço do trabalho, tendo em conta os dois próximos momentos eleitorais — as regionais de 22 de setembro e as legislativas de 6 de outubro. Vai ser na Madeira para dar um sinal de força, pois há a possibilidade de o PS, pela primeira vez, poder vir a ganhar aquelas eleições. Mas também vai servir como ‘pontapé de saída’ para as legislativas, de forma a que os portugueses voltem a confiar em António Costa e no PS”, afirmou Ana Catarina Mendes à Lusa no início do mês.

Paulo Cafôfo concorre às eleições legislativas de 22 de setembro como independente apoiado pelo PS. Em 2013, tornou-se presidente da principal câmara madeirense pela coligação Mudança (PS/BE/PTP/PAN/PND/MPT), e foi reeleito em 2017 pela coligação Confiança, conquistando a maioria absoluta. Até então, o município tinha sido liderado pelo PSD, partido que governa a Madeira desde 1976.

Em maio, num comício no âmbito das europeias, António Costa admitiu ter “uma obsessão” pelas regiões autónomas, considerando que o voto nas eleições para o Parlamento Europeu seria “um três em um” para a mudança política na Madeira, em setembro.

”Eu tenho mesmo uma obsessão pela Madeira, porque o Porto Santo e a Madeira não são menos que os portugueses do continente”, disse António Costa num comício no Funchal, no âmbito da campanha para aquelas eleições, nas quais o PS foi o partido mais votado.

Na altura, Costa apelou também ao voto “para dar força à mudança” começada “na República há três anos e meio” e que admitiu querer continuar na Região Autónoma da Madeira “com a grande vitória de Paulo Cafôfo”, o candidato a presidente do Governo Regional.

O secretário-geral do PS sublinhou ainda que a mudança já tinha sido conseguida no Governo da República, nos Açores e em quatro municípios da Madeira (Funchal, Machico, Porto Moniz e Ponta do Sol), reforçando: “Vamos provar ser possível quando no dia 22 setembro, os madeirenses e porto-santenses escolherem Paulo Cafôfo para ser próximo presidente da Madeira”.