O treinador Augusto Inácio mostrou confiança numa boa resposta do Desportivo das Aves na receção ao Famalicão, no sábado, na quarta jornada da I Liga de futebol, após a goleada sofrida diante do Rio Ave.

“Temos de dar uma resposta positiva depois do descalabro que foi o jogo passado [derrota por 5-1]. Sabemos que o Famalicão está a fazer um belo campeonato [está igualado com o sporting na liderança], troca bem a bola e é rápido no ataque, mas a equipa que entrar só pode corresponder ao carinho que os adeptos nos deram em Vila do Conde. É uma dívida que temos para com eles”, disse o técnico, na conferência de antevisão ao duelo, realizada no Estádio do CD Aves.

Augusto Inácio admitiu que a goleada sofrida na última ronda provocou mossa num plantel caracterizado pelo “desequilíbrio competitivo” entre “os que têm jogado e os restantes”, mas apelou à “qualidade, alma e agressividade” dos futebolistas avenses para enfrentar “um jogo que é para ganhar”.

“Tivemos um défice físico e falhámos na organização e na concentração. É o preço a pagar pelo desequilíbrio competitivo que há no plantel e isto não é nenhuma desculpa. Provavelmente há equipas mais avançadas, enquanto nós estamos num processo de entrosamento. Foi uma semana difícil porque pode haver desconfiança e eu senti os jogadores tristes. Se estou preocupado? Estou sempre preocupado. Só que este é o papel do treinador, fazer com que os jogadores não percam a confiança, senão é meio caminho andado para a derrota”, indicou.

Resultado à parte, o treinador do Desportivo das Aves mostrou-se aliviado com a aproximação da pausa para os jogos internacionais, que vai trazer “15 dias para equilibrar a equipa fisicamente com o campeonato em andamento”.

“Contratámos agora dois jogadores para o meio-campo, o Luiz Fernando e o [Redouane] Kerrouche. Um está com falta de ritmo competitivo para o futebol europeu e o outro com os níveis físicos em baixo. Deu para perceber isso no jogo a meio da semana com o Berço [empate a uma bola]. Para o Kerrouche [a pausa] vai ser uma pré-temporada. Outros levarão uma boa carga física, que não vai ser atletismo, mas sim outro tipo de treino que lhes permita aproximarem-se dos restantes colegas”, explicou.

Os dois clubes já se encontraram por 20 vezes na II Liga, com os avenses a apresentarem mais dois triunfos do que os famalicenses (nove contra sete), mas medirão forças pela primeira vez na elite do futebol nacional.

O Desportivo das Aves, 13.º colocado, com três pontos, recebe o Famalicão, que lidera a I Liga a par do Sporting, com sete, no sábado, às 16h30, no Estádio do CD Aves, no concelho de Santo Tirso.