O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, descreveu 2019 como um ano de assédio e de agressão dos Estados Unidos, mas garantiu que o país sul-americano “está de pé” apesar do bloqueio económico, comercial e financeiro.

“Aqui estamos, de pé, dignos, vitoriosos e em marcha ao futuro de uma pátria imparável. Estamos de pé, dignos e vitoriosos”, afirmou esta quinta-feira.

Nicolás Maduro falava no Hotel Alba Caracas, durante o I Encontro Internacional de Trabalhadores e Trabalhadoras, onde destacou que os venezuelanos têm lutado contra as agressões dos Estados Unidos, através de um bloqueio económico e medidas coercitivas, orientadas a gerar o caos na população.

“Para a Venezuela tem sido um ano de prova. Tem sido um ano duro, um ano de assédio e agressão. Tem sido um ano para reformatar, reformular o caminho da revolução bolivariana em todos os seus aspetos e dimensões”, acrescentou o governante.

O Presidente da Venezuela sublinhou que 2019 tem sido “de pulso intenso” e que “o imperialismo norte-americano tem subestimado os povos da América Latina”.