As novas tarifas anunciadas pelo Governo dos Estados Unidos sobre cerca de 300 mil milhões de euros de importações da China entraram este domingo em vigor, num novo episódio da guerra comercial entre as duas maiores potências mundiais.

A partir de domingo, cerca de 300 mil milhões de euros de mercadorias oriundas da China terão de pagar mais 15% de taxas alfandegárias, de acordo com o Departamento de Comércio dos Estado Unidos.

As taxas entraram em vigor às 00:01 (05:01 em Lisboa), segundo a Agência do Comércio dos Estados Unidos (USTR, na sigla inglesa).

No total, mais de dois terços dos bens de consumo que os Estados Unidos importam da China são agora alvo de impostos mais elevados.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, chegou a admitir adiar a imposição de novas tarifas aduaneiras para janeiro de 2020 – pressionado por organizações de comércio norte-americanas, preocupadas com o efeito da medida na época de compras natalícia — mas na noite de sexta-feira confirmou que a medida iria mesmo entrar em vigor hoje, 01 de setembro.

Pequim deverá reagir, como tinha anunciado em julho, aumentando as tarifas adicionais em cerca de 70 mil milhões de euros de produtos importados dos Estados Unidos, mas a confirmação desta resposta ainda não foi divulgada pelo Governo chinês.

Esta é mais uma etapa na escalada de imposições tarifas aduaneiras na guerra comercial entre os EUA e a China, que se prolonga desde março de 2018, apesar das inúmeras rondas de negociações entre os dois países.