A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defendeu esta segunda-feira uma estratégia de adaptação às alterações climáticas na agricultura, que passe por apoiar os agricultores e produtores pecuários em investimentos para armazenamento de água.

Entendemos que o tema do território e da água é um tema de prioridade de primeira linha na análise das alterações climáticas. Sabemos que essa é uma circunstância com a qual temos de lidar. Isso significa que temos de apoiar os agricultores, os produtores, em vários domínios, em vários investimentos, nomeadamente, no pequeno armazenamento de água, pequenas charcas, com a irrigação eficiente”, defendeu Assunção Cristas.

Durante uma visita à Feira da Luz, de Montemor-o-Novo, no distrito de Évora, a líder do CDS sublinhou que esses apoios devem constar de uma “estratégia de adaptação às alterações climáticas” “A parte do combate é muito importante, mas a adaptação do nosso território às alterações climáticas também é essencial”, sustentou Assunção Cristas, falando aos jornalistas no Parque de Exposições e Parque de Leilões de Gado de Montemor.

Salientando tratar-se da “maior feira pecuária”, na qual é possível passar em revista o “trabalho dos produtores”, a presidente do CDS-PP afirmou que o sentido da sua visita é “sublinhar e reforçar compromisso do CDS com o mundo rural”.

Esse compromisso, “com a agricultura, com a produção animal”, é essencial para “um país que se quer desenvolvido e que trata bem da sua cultura e da sua tradição”, enfatizou Assunção Cristas.

“O mundo rural para nós é mesmo um compromisso muito sério”, declarou, sublinhando que a sua “defesa intransigente” tem sido feita pelos centristas em vários domínios, como da agricultura extensiva ou do regadio.