Uma obra do artista de rua britânico Banksy foi roubada das imediações do Centro de Pompidou, em Paris, anunciou o museu de arte moderna esta terça-feira.

A imagem, que apareceu em junho de 2018 na parte de trás de uma placa do estacionamento do museu, apresenta um rato mascarado — o avatar de Banksy que simboliza os oprimidos — brandindo um canivete, instrumento que o artista usa para cortar os seus stencils.

Em declarações à AFP, representantes do Centro Pompidou  afirmaram suspeitarem que os ladrões tenham usado uma serra para cortar a placa, que estava equipada com uma cobertura de plexiglass para impedir que fosse roubada. Segundo o museu de arte moderna, os guardas de segurança já tinham capturado ladrões a tentarem roubar o trabalho há um ano.

O Pompidou, que abriga a maior coleção de arte moderna e contemporânea da Europa, mas não detém a obra de Banksy, apresentou uma queixa policial por destruição de propriedade.

O stencil onde estava representado o rato foi instalado no 50º aniversário da greve geral de estudantes e trabalhadores que parou a França em 1968.

Não é a primeira vez que um mural de Banksy é roubado em Paris. Em janeiro, uma obra que retratava uma jovem figura feminina foi cortada e removida de uma das portas de emergência do Bataclan. Esta peça de arte urbana era um tributo às 90 pessoas que morreram no ataque terrorista durante um concerto de rock em 2015.