Dark Mode 196kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

100 concelhos em risco máximo de incêndio. Siga aqui o mapa interativo

Este artigo tem mais de 1 ano

Mais de dez incêndios lavraram esta sexta-feira no distrito de Aveiro, onde várias estradas foram cortadas. Há cinco bombeiros e um GNR ferido. Governo prolongou estado de alerta até terça-feira.

i

Incêndio Monchique, Algarve

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Incêndio Monchique, Algarve

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Cerca de uma centena de concelhos de 13 distritos de Portugal continental apresentam esta sexta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O Governo prolongou, entretanto, o estado de alerta até terça-feira.

Incêndios. Governo prolonga estado de alerta até terça-feira

A A1 esteve cortada nos dois sentidos entre os nós de Aveiro Sul e de Albergaria devido ao incêndio que continua ativo nesta zona, mas já foi entretanto reaberta.

Em risco máximo de incêndio continuam esta esta sexta-feira cerca de cem concelhos dos distritos de Faro, Beja, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Leiria, Coimbra, Guarda, Viseu, Porto, Aveiro, Vila Real, e Bragança. O IPMA colocou ainda vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em risco muito elevado e elevado de incêndio.

O IPMA prevê para esta sexta-feira no continente uma pequena descida da temperatura máxima céu geralmente limpo e um aumento temporário de nebulosidade no interior do Baixo Alentejo e Algarve, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante leste, temporariamente de noroeste durante a tarde na faixa costeira ocidental, e sendo moderado a forte nas terras altas até final da manhã e a partir do final da tarde, com rajadas até 75 quilómetros por hora no Norte e Centro.

Cerca de uma centena de concelhos de 15 distritos de norte a sul de Portugal continental apresentaram na quinta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Em Lisboa, um incêndio no bairro da Penha de França mobilizou mais de 100 bombeiros e obrigou à evacuação de um infantário e creche, mas está em fase de rescaldo. Em Valença, Viana do Castelo, um incêndio que começou na noite de quarta-feira chegou a mobilizar mais de 300 bombeiros, mas também já está dominado. Mantêm-se no terreno, ainda assim, 281 bombeiros e 91 viaturas.

O Governo declarara na terça-feira situação de alerta de agravamento do risco de incêndio florestal até domingo, período que foi esta sexta-feira prolongado até terça. As altas temperaturas que se fazem sentir esta semana, podendo chegar aos 40º C, aliadas à baixa humidade e aos “perigosos” ventos do quadrante leste já tinham feito a Proteção Civil colocar sob alerta vermelho 13 distritos do país. Um foi o da Guarda, onde dois incêndios deflagraram na quarta-feira e mobilizaram mais de 200 bombeiros, apesar de já terem entrado ambos em fase de resolução. Em Almoster, no concelho de Alvaiázere, Leiria, o incêndio que chegou a mobilizar mais de 300 bombeiros e 12 meios aéreos durante a tarde de quarta-feira também entrou em fase de resolução durante a noite.

O incêndio em Valença, Viana do Castelo, deflagrou às 21h19 de quarta-feira, de acordo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC). Paulo Santos, oficial de operações da Proteção Civil, esclareceu ao Observador que o incêndio está localizado numa zona de mata e que as aldeias nas proximidades não foram afetadas. O relevo acidentado e o vento forte estão a dificultar as operações das autoridades.

Ainda na tarde de quinta-feira, um helicóptero de combate a incêndios explodiu e caiu em Valongo, Porto. O piloto, único ocupante do aparelho, não sobreviveu.

Morreu o piloto do helicóptero de combate aos incêndios que caiu em Valongo

Reforçado grau de prontidão em caso de incêndio

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou um aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência, face ao nível de alerta para incêndios.

Eduardo Cabrita assinou um aditamento ao despacho de situação de alerta especial para o período compreendido entre as 00h00 desta quarta-feira e as 23h59 de domingo. É também aumentado o nível de prontidão das equipas de resposta das entidades “com especial dever de cooperação” nas comunicações de redes fixas e móveis, bem como na energia (transporte e distribuição).

Fica contemplada a dispensa do serviço público dos trabalhadores que desempenham cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica e de forças de segurança.

São igualmente dispensados do serviço, no setor privado, os trabalhadores que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, nos distritos em que tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Em atualização

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.