O primeiro-ministro afirmou esta sexta-feira que Elisa Ferreira vai assumir como comissária europeia uma pasta “importante para Portugal”, mas remeteu a sua divulgação pública para a futura presidente da Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen.

Esta posição foi transmitida por António Costa em entrevista à Antena 1, depois de questionado sobre qual a futura pasta que a antiga ministra socialista e vice-governadora do Banco de Portugal terá no executivo comunitário.

Na entrevista, o primeiro-ministro antecipou que Elisa Ferreira, como comissária europeia, nos próximos cinco anos, “vai ficar com uma pasta que é importante para Portugal” e citou sobre este mesmo assunto o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O senhor Presidente da República considera que é uma pasta ótima para Portugal”, referiu, antes de assumir que, tanto ele, como o chefe de Estado, já sabem qual é a pasta que será desempenhada por Elisa Ferreira, embora, pela sua parte, se recuse a divulgá-la.

O compromisso que temos com a senhora von der Leyen é que será ela a anunciar no momento próprio – creio que ela já disse que será na próxima terça-feira – a composição da Comissão e também a distribuição das pastas pelos diferentes comissários. Pela minha parte, respeitarei o compromisso que assumi, não vou divulgar publicamente qual é a pasta que vai caber à comissária Elisa Ferreira”, justificou.

Sobre este tema, o primeiro-ministro nada mais acrescentou e apenas repetiu que está “satisfeito” com a pasta que caberá à antiga eurodeputada socialista na Comissão Europeia.

A futura presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou já que apresentará formalmente na terça-feira a sua equipa e respetivas pastas, que inclui a ex-ministra Elisa Ferreira como comissária indicada por Portugal. Na sua conta na rede social Twitter, Leyen divulgou estar “feliz por ter recebido os candidatos de todos os Estados-membros”, depois de a Itália ter indicado o antigo primeiro-ministro Paolo Gentiloni para integrar o próximo Colégio de Comissários.

O Parlamento Europeu deverá pronunciar-se sobre o colégio como um todo a 22 de outubro, depois de as comissões parlamentares encerrarem os debates com os comissários indicados para as diferentes pastas.

O Reino Unido anunciou que não iria indicar um nome dado que o Brexit está ainda agendado para 31 de outubro, véspera da entrada em funções da “Comissão Leyen”.

O primeiro-ministro, António Costa, escolheu no final de agosto a ex-ministra Elisa Ferreira para comissária europeia e já o comunicou à nova presidente da comissão. Elisa Ferreira foi ministra dos governos chefiados por António Guterres, primeiro do Ambiente, entre 1995 e 1999, e depois do Planeamento, entre 1999 e 2002, e ocupa, desde setembro de 2017, o cargo de vice-governadora do Banco de Portugal.

Elisa Ferreira é a primeira mulher portuguesa no Colégio de Comissários e sucederá a Carlos Moedas, que foi comissário indicado pelo anterior governo PSD/CDS.