A tenista norte-americana Serena Williams perdeu a final do US Open frente à adolescente canadiana Bianca Andreescu, de 19 anos. É a quarta final seguida de um Grand Slam em que a desportista americana é derrotada. Ainda no ano passado, outra jovem atleta, Naomi Osaka, de 21 anos, ganhou o duelo frente a Serena Williams numa final marcada pela polémica após a atleta ter discutido com o árbitro do jogo, que era português.

Ao perder novamente, Serena Williams volta a adiar a possibilidade de igualar o recorde da australiana Margaret Court, que ganhou 24 títulos individuais de Grand Slams, mais um do que a tenista norte-americana. Na partida disputada este sábado, Serena Williams perdeu pelos parciais de 6-3 e 7-5. E Bianca Andreescu tornou-se na primeira tenista natural do Canadá, homem ou mulher, a ganhar um título individual do Grand Slam — um feito que conquista no primeiro US Open para que se qualificou.

Com a vitória conquistada neste US Open, Bianca Andreescu arrecada um prémio de 3,85 milhões de dólares, o equivalente a 3,46 milhões de euros. “É tão difícil de explicar em palavras, mas estou para lá de agradecido e verdadeiramente abençoada. Trabalhei muito, muito mesmo para este momento. Este ano foi um sonho tornado realidade e agora ser capaz de disputar esta etapa contra a Serena, uma verdadeira lenda deste desporto, é incrível”, comentou a jovem.

E, em jeito de provocação, atirou: “Eu sei que queriam que a Serena vencesse, por isso lamento muito. Obviamente, esperava-se que Serena voltasse. É o que ela faz de melhor. Ela é uma verdadeira campeã dentro e fora do campo”. Serena Williams também se dirigiu aos fãs: “A minha equipa tem sido tão solidária ao longo de todos os baixos e baixos e baixos. E espero que tenhamos alguns altos em breve”.
Foi uma celebração mais pacífica do que a de Naomi Osaka, que viu a sua vitória ser ofuscada pelos atritos entre Serena Williams e o árbitro da partida, o português Carlos Ramos. Apesar da vitória histórica para a jovem de 20 anos, as atenções viraram-se para a derrotada, que acusou o árbitro Carlos Ramos de ser “um ladrão”, que só lhe tirou pontos por coaching [receber indicações do treinador durante a partida] por ela ser mulher: “Há muitos homens que já disseram muitas coisas por aí. É porque sou uma mulher e isso não é correto”, afirmou, depois de ter enfrentado o árbitro e partido a raquete durante o jogo.

Mas, tal como à época Serena Williams congratulou a colega Naomi Osaka, agora elogiou também a jovem Bianca Andreescu: “Bianca jogou uma partida inacreditável e está de parabéns. Estou tão orgulhosa e feliz por ti. Foi um ténis incrível, aquele que aconteceu ali. Estou feliz por ser a Bianca”. Sobre a sua própria prestação, Serena Williams afirmou: “Sinto-me muito honrada por estar aqui e estou tão orgulhosa por ainda estar aqui a competir a este nível, porque não é fácil competir neste desporto em particular por tantos anos”.

Serena Williams tem o dobro da idade de Bianca Andreescu. Os 19 anos que as separam representa a maior diferença de idade numa final desde a existência do US Open. Em comentários à ESPN, Chrissie Evert, também ela uma notável campeã do ténis, comparou: “Bianca Andreescu é a única jogadora que Serena não queria ver nas finais. Ela pode igualar o seu poder e é destemida”, adjetiva.