Rádio Observador

Ténis

Serena Williams perde US Open para a adolescente Bianca Andreescu

1.268

Tem 19 anos e veio do Canadá para derrotar Serena Williamns. Bianca Andreescu ganhou o US Open. É a quarta final seguida de um Grand Slam em que a norte-americana é derrotada.

Getty Images

A tenista norte-americana Serena Williams perdeu a final do US Open frente à adolescente canadiana Bianca Andreescu, de 19 anos. É a quarta final seguida de um Grand Slam em que a desportista americana é derrotada. Ainda no ano passado, outra jovem atleta, Naomi Osaka, de 21 anos, ganhou o duelo frente a Serena Williams numa final marcada pela polémica após a atleta ter discutido com o árbitro do jogo, que era português.

Ao perder novamente, Serena Williams volta a adiar a possibilidade de igualar o recorde da australiana Margaret Court, que ganhou 24 títulos individuais de Grand Slams, mais um do que a tenista norte-americana. Na partida disputada este sábado, Serena Williams perdeu pelos parciais de 6-3 e 7-5. E Bianca Andreescu tornou-se na primeira tenista natural do Canadá, homem ou mulher, a ganhar um título individual do Grand Slam — um feito que conquista no primeiro US Open para que se qualificou.

Com a vitória conquistada neste US Open, Bianca Andreescu arrecada um prémio de 3,85 milhões de dólares, o equivalente a 3,46 milhões de euros. “É tão difícil de explicar em palavras, mas estou para lá de agradecido e verdadeiramente abençoada. Trabalhei muito, muito mesmo para este momento. Este ano foi um sonho tornado realidade e agora ser capaz de disputar esta etapa contra a Serena, uma verdadeira lenda deste desporto, é incrível”, comentou a jovem.

E, em jeito de provocação, atirou: “Eu sei que queriam que a Serena vencesse, por isso lamento muito. Obviamente, esperava-se que Serena voltasse. É o que ela faz de melhor. Ela é uma verdadeira campeã dentro e fora do campo”. Serena Williams também se dirigiu aos fãs: “A minha equipa tem sido tão solidária ao longo de todos os baixos e baixos e baixos. E espero que tenhamos alguns altos em breve”.
Foi uma celebração mais pacífica do que a de Naomi Osaka, que viu a sua vitória ser ofuscada pelos atritos entre Serena Williams e o árbitro da partida, o português Carlos Ramos. Apesar da vitória histórica para a jovem de 20 anos, as atenções viraram-se para a derrotada, que acusou o árbitro Carlos Ramos de ser “um ladrão”, que só lhe tirou pontos por coaching [receber indicações do treinador durante a partida] por ela ser mulher: “Há muitos homens que já disseram muitas coisas por aí. É porque sou uma mulher e isso não é correto”, afirmou, depois de ter enfrentado o árbitro e partido a raquete durante o jogo.

Mas, tal como à época Serena Williams congratulou a colega Naomi Osaka, agora elogiou também a jovem Bianca Andreescu: “Bianca jogou uma partida inacreditável e está de parabéns. Estou tão orgulhosa e feliz por ti. Foi um ténis incrível, aquele que aconteceu ali. Estou feliz por ser a Bianca”. Sobre a sua própria prestação, Serena Williams afirmou: “Sinto-me muito honrada por estar aqui e estou tão orgulhosa por ainda estar aqui a competir a este nível, porque não é fácil competir neste desporto em particular por tantos anos”.

Serena Williams tem o dobro da idade de Bianca Andreescu. Os 19 anos que as separam representa a maior diferença de idade numa final desde a existência do US Open. Em comentários à ESPN, Chrissie Evert, também ela uma notável campeã do ténis, comparou: “Bianca Andreescu é a única jogadora que Serena não queria ver nas finais. Ela pode igualar o seu poder e é destemida”, adjetiva.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)